Pandemia provoca represamento de exames preventivos em Foz do Iguaçu

A pandemia de covid-19 provocou um represamento em exames e consultas não urgentes em Foz do Iguaçu. Os preventivos ginecológicos estão entre os que apresentaram maior redução.

No segundo quadrimestre de 2020 foram realizadas 598 mamografias, exame essencial para prevenir o câncer de mama, contra 2.233 no mesmo período de 2019. Em relação à coleta do preventivo do colo de útero, o total chegou a 452 em 2020, bem abaixo dos 3.922 realizados em 2019 – uma redução de 85%.

Os dados são do Conselho Municipal de Saúde (Comus) e se referem a procedimentos e exames realizados na rede pública. Ainda conforme o Comus, o Centro de Especialidades Médicas (CEM) registrou um total de 18 mil consultas a menos em relação a 2019. Também ocorreram reduções na cobertura vacinal. A cidade terminou 2020 com um índice de 70% a 75%, abaixo do preconizado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que é de 90%.

Presidente do Comus, o dentista André Buriasco diz que o reflexo do represamento dos exames será sentido nos próximos meses e anos. “Leva cerca de 1,5 ano para os índices voltarem como era antes da pandemia”, estima.

Segundo Buriasco, o fechamento de algumas unidades de atenção básica no início da pandemia, pelo fato de haver temor de que a circulação de pessoas fosse espalhar o vírus, foi uma das causas da redução nos exames. “Ninguém sabia como o vírus iria se comportar”, afirma. As unidades básicas oferecem vários tipos de exames, incluindo pré-natal e preventivos.

Diante do quadro, o Comus solicitou à Secretaria da Saúde um planejamento para a retomada dos serviços. Muitos deles voltaram neste ano e já mostram receptividade da população.

Denise Paro - H2FOZ

Denise Paro é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo da autora.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.