Homem é preso, e contrabando de inseticida, bloqueado na Ponte da Amizade

Fronteira é rota para a entrada de agroquímicos ilegais trazidos do Paraguai, que oferecem risco à saúde, ao meio ambiente e à economia.

Apoie! Siga-nos no Google News

Um veículo com placas paraguaias foi parado pela Receita Federal do Brasil (RFB), na Ponte Internacional da Amizade, entre Foz do Iguaçu e Ciudad del Este, transportando agroquímicos contrabandeados. A abordagem ocorreu nessa quarta-feira, 8, na aduana.

LEIA TAMBÉM: MPF pede pagamento de R$ 3 milhões de grupo que trazia agrotóxico do Paraguai

Na fiscalização de rotina, os servidores federais localizaram 40 pacotes de inseticidas proibidos no Brasil. O produto estava em fundo falso do veículo, que era conduzido por motorista brasileiro.

Inseticida apreendido pelos servidores da Receita Federal na Ponte da Amizade – foto: Divulgação/RFB


O homem foi preso em flagrante por contrabando e encaminhado à delegacia local da Polícia Federal. “Inseticidas estrangeiros sem autorização e registro no Brasil são considerados contrabando devido às leis que protegem a saúde e a economia nacionais”, frisa a RFB.

Prejuízos múltiplos

Defensivos agrícolas ilegais são os contrabandeados, que não passam pelo controle sanitário dos órgãos nacionais. Não possuindo registro, constituem risco à saúde humana, alertam as autoridades. Vale lembrar que as pessoas não querem comer alimentos com veneno.

Outro problema gerado por esse comércio clandestino é a falsificação, sob fraude na sua composição. Essa prática está associada ao roubo de agroquímicos. O uso de produtos irregulares, além dos riscos à saúde, impacta a produtividade, reduzindo-a, e o meio ambiente.

LEIA TAMBÉM