Foz do Iguaçu registra maior número de homicídios em cinco anos

Em comparação com 2021, o crescimento atingiu 30%. Dos 82 crimes, sete foram classificados como feminicídios.

Apoie! Siga-nos no Google News

A Delegacia de Homicídios da Polícia Civil em Foz do Iguaçu divulgou um balanço com os índices de homicídios na Terra das Cataratas em 2023. Foram registrados 82 crimes, quatro a mais do que em 2022, representando o maior número desde 2019. Desse total, sete foram enquadrados como feminicídios, o maior índice desde 2000, quando esse crime começou a ser contabilizado separadamente dos homicídios dolosos (com intenção de matar).

Os meses mais violentos foram janeiro e abril. Entre as regiões com o maior número de ocorrências se destacam Morumbi e Três Lagoas, com mais de dez casos cada uma, seguidas por Panorama, Porto Meira e Campos do Iguaçu. Conforme o levantamento, a maioria das vítimas de homicídios dolosos em Foz é homem na faixa etária entre 18 e 39 anos.

De acordo com a DHPC, muitas situações são motivadas por acertos de contas envolvendo outros crimes, como o tráfico de drogas. O uso de armas de fogo lidera o número de ocorrências.

Segundo dados disponíveis no site da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SESP), os números atuais estão longe da realidade de 11 anos atrás (foram 165 homicídios em 2012), mas mostram uma retomada no crescimento nos últimos três anos. Na comparação com 2021, o aumento chegou a 30%.



72% de elucidação

Quanto à elucidação dos casos, a Delegacia de Homicídios informou que 57 dos crimes registrados no último ano já foram esclarecidos pela especializada. Além disso, outros dois casos de anos anteriores, que estavam sem autoria até então, foram elucidados em 2023. Com isso, a unidade contabilizou uma taxa de 72% de homicídios solucionados na fronteira.

A delegada da especializada, Iane Cardoso, explicou que os casos ocorridos nos meses de novembro e dezembro geralmente são esclarecidos nos primeiros meses do ano seguinte, razão pela qual o índice de 72% é positivo, porém não é absoluto.

LEIA TAMBÉM