Foz do Iguaçu, 2030: veja os projetos que podem mudar a cara da cidade

A Itaipu Binacional deu a largada em obras que vão transformar Foz do Iguaçu e região, como a nova ponte com o Paraguai, a ampliação da pista do aeroporto e a duplicação da BR-469, a Rodovia das Cataratas.

Mas há projetos complementares a esses e, ainda, outros que podem fazer de Foz do Iguaçu uma cidade ainda mais bonita para os turistas e – o que também é fundamental – para os iguaçuenses.

Os projetos foram apresentados pelo secretário municipal do Turismo, Indústria, Comércio e Projetos Estratégicos, Gilmar Piolla, durante o Fórum dos Projetos Estruturantes de Foz do Iguaçu e Região, promovido pela Itaipu na sexta-feira, 13.

O secretário  municipal de Planejamento Urbano e Captação de Recursos, Elsídio Cavalcante, também participou da apresentação feita pela Prefeitura, do Plano Diretor ao projeto Reinventando Foz.

Pela ordem de apresentação, conheça os “Projetos Estratégicos Foz 2030”.

Duplicação da BR-469

A dupplicação será do trevo de acesso à Argentina até o portão de entrada do Parque Nacional do Iguaçu, com extensão de 8,7 km. A rodovia contará com um viaduto, três trincheiras, uma ponte elevada, uma passarela de pedestres, uma rotatória, duas passa-fauna, ciclovia e vias marginais.

O custo previsto é de R$ 135 milhões, que será bancado pela Itaipu (70%) e pelo Governo do Estado (30%), que deverá receber do Ministério da Infraestrutura a gestão da obra. O lançamento da licitação deve ocorrer entre julho e agosto.

Revitalização da Avenida das Cataratas

Obras de revitalização serão executadas no trecho 3,9 km entre a esquina das Avenidas Paraná/Jorge Schimmelpfeng e o trevo de acesso à Argentina.

Serão construídos um calçadão e uma ciclovia com passeio entre a esquina das Avenidas Paraná/Jorge Schimmelpfeng até a Churrascaria Rafain.

O projeto executivo foi doado pela Itaipu Binacional em 2016 e o custo previsto das obras é de R$ 23 milhões

Novo sistema de pistas do aeroporto

A pista atual, que está sendo ampliada para receber aviões de grande porte, será convertida em pista de taxiamento. A nova pista, com 3 mil metros de extensão por 60 metros de largura, tem previsão de custos de R$ 276 milhões, mas ainda não há prazo para início das obras.

O objetivo da nova pista é atender a demanda futura para 2029, com o objetivo de aumentar o número de operações nos horários de pico. Obra está prevista na portaria da Anac de 2016.

Novo Porto Seco Bimodal ou Trimodal

A construção da nova ponte e da Perimetral Leste exigirá a construção de um novo Porto Seco, bimodal (caminhões e trens) ou trimodal (inclui ainda transporte hidroviário).

Previsto para ocupar uma área de 450 mil metros quadrados (o atual tem 150 mil), o novo Porto Seco será o maior da América do Sul, com capacidade para atender um movimento de 160 mil caminhões por ano. O modelo de gestão será privado.

Beira Foz

A previsão é que uma área de 400 hectares às margens do Rio Paraná, entre Jardim Jupira (altura da Ilha Acaray) e a foz do Rio Monjolo abrigue sete operações urbanas consorciadas.

Para isso, precisarão ser feitas alterações no Plano Diretor e na Lei de Zoneamento e Uso do Solo. O incentivo à instalação de empreendimentos nessa área prevê isenção de IPTU e ISSQN sobre a construção civil, para estimular o desenvolvimento.

E Foz deve, finalmente, implantar o IPTU progressivo para áreas não aproveitadas, como forma de combater a especulação imobiliária.

Revitalização do Espaço das Américas

A área de 7.917,59 metros quadrados onde está o Espaço das Américas integra o Complexo Turístico do Marco das Três Fronteiras, licitado pela Prefeitura em 2015.

Após dois anos de negociações com a Secretaria de Patrimônio da União – SPU, haverá cessão onerosa da área para o município.

O projeto de revitalização do Espaço das Américas manterá características originais do prédio. Haverá ainda um novo acesso ao Marco e ampliação da área de estacionamento.

O investimento, de R$ 19 milhões, será feito pela Cataratas do Iguaçu S/A.

Concessão do Centro de Convenções

Já houve tentativas de entregar o Centro de Convenções à iniciativa privada, sem sucesso. Mas a futura duplicação da BR-469 e também a duplicação (obras em execução pela Itaipu) do acesso da rodovia ao aeroporto, deverá atrair mais interesse àquele espaço, que tem área total de 95.880,30 metros quadrados e área construída de 31.863,43 m².

O prazo de arrendamento será de 30 anos e os critérios de seleção da empresa levarão em conta maior investimento, combinado com maior lance livre de outorga variável, geração de empregos e outros indicadores.

Os incentivos serão de isenção de IPTU e ISSQN sobre obras da construção civil.

Condomínio de Startups

O prédio do antigo Centro de Artesanato e Turismo será reformado e ampliado para abrigar o Condomínio de Startups, um espaço dedicado ao ecossistema de inovação, com foco em energia, sustentabilidade, turismo, logística e economia criativa.

A gestão do espaço será compartilhada entre entidades parceiras, como a Prefeitura, a Fundação PTI, o Sebrae e o Iguassu Valley.

O investimento previsto é de R$ 3,2 milhões, a cargo da Prefeitura.

Arena Esportiva Multiuso

Esta é uma das novidades que aparecem nos planos para 2030 e já conta com recursos de emenda parlamentar do deputado Vermelho.

A arena esportiva multiuso terá espaços para uso comercial, lojas, praça de alimentação, academias, camarotes, coworking e áreas de convivência, em área construída de 19.907,92 metros quadrados, num espaço total de 58,8 mil metros quadrados.

A arena terá capacidade de receber 9 mil pessoas. Ainda não foi definida o local, se será em área próxima do antigo Clube do Cavalo ou na Beira Rio existente.

Concessão Prainha e Base Náutica

A Prefeitura prevê fazer a concessão das áreas da Prainha e da antiga Base Náutica de Três Lagoas para a iniciativa privada, por um prazo de 20 anos mais 10 renováveis.

A área total é de 386.274 metros quadrados.

A previsão é de que será construída uma marina, com pátio de serviços, garagem náutica, além de espaço gastronômico, espaço para eventos, atracadouro, área comercial e área administrativa (capitania, fiscalização, etc).

Um complexo hoteleiro: Hotel com área administrativa, academia, SPA, restaurante, centro de eventos, trilhas, parque de esportes radicais, área esportiva e complexo aquático com acesso exclusivo ao lago e aos 14 bangalôs.

Praia Pública: 25 novos espaços para lazer (churrasqueiras) com infraestrutura completa, 4 grandes quiosques “pé-na-areia”, área de camping com infraestrutura completa, playground, farol observatório e quadras esportivas.

Valor do investimento: R$ 63.777.051,15

Revitalização do entorno do 34º Batalhão

Será revitalizada a área limitada por quatro grandes avenidas: Paraná (sentido norte/sul), República Argentina (sentido leste/oeste), JK (sentido sul/norte) e Duque de Caxias (oeste/leste).

A ideia é integrar a paisagem urbana do Batalhão com a cidade e valorizar e divulgar o Batalhão como patrimônio histórico-cultural da cidade.

O projeto prevê implantação de ciclovia, pista de caminhada, academias infantil e melhor idade, quiosques etc;

Maior desafio será o recuo do muro (de dois a 3,5 metros, em média), com área total de recuos de cerca de 6.500 metros quadrados.

Serão construídos novos muros em 200 metros de extensão, com 3 metros de altura.

Valor estimado do projeto: R$ 5 milhões

Parque temático do Yvytu-Gresfi

A área do antigo aeroporto da cidade poderá ser transformada em parque temático dedicado ao tema vento, em memória a Santos Dumont.

O antigo terminal de passageiros, atual sede do Gresfi, será um museu para contar a história da cidade e do primeiro aeroporto.

O atual ginásio vai abrigar espaço com réplicas dos inventos de Museu Santos Dumont. O espaço Zéfiro terá giroscópios, cabine de simulação de voos, balão ancorado, túneis de vento e uma roda gigante.

Restaurantes e lojas serão instalados em aviões antigos, recuperados.

Área total do Gresfi: 8.700 metros quadrados
Área a ser negociada com 34º Batalhão: 17 mil metros quadrados
Valor do investimento: R$ 15,5 milhões (primeira fase)

Calçadão da Avenida Rebouças

A revitalização da Rua Engenheiro Rebouças prevê a implantação de um calçadão da Rebouças no trecho entre a Rua Almirante Barroso e a Avenida JK, com realocação da Feirinha Iguaçu.

O projeto será de arquitetura e design contemporâneos, com piso de concreto colorido moldado in loco, que cria um desenho ortogonal inspirado na técnica origami, simulando caminhos que interagem, se encontram e se afastam e, inclusive, se descolam do piso e cobrem as pessoas.

As estruturas metálicas e envidraçadas das terraças ficam na sombra das árvores, são elevadas e possuem acessibilidade, formando decks de convivência.

Com forte apelo paisagístico, o conjunto cria um ambiente acolhedor e visa a interação das pessoas, propiciando a completa reurbanização da área.

O projeto prevê as seguintes atrações: terrazas para café, bares e floricultura, estátuas, painéis de artistas locais, mobiliário urbano e chafariz sobre solo permeável.

Feirinha da Cidade

Realocação das feirinhas da Ponte da Amizade, Terminal da Vila Portes e Feira Iguaçu, da Rua Rebouças, para novo espaço, na região central ou Vila Portes.

Construção de espaço adequado para abrigar 200 feirantes.

Nova concessão do Parque Nacional do Iguaçu

A concessão atual do Parque Nacional do Iguaçu vence em novembro de 2020. ICMBio e BNDES preparam novo edital de licitação.

Há necessidade de investimentos na melhoria da Trilha das Cataratas, no estacionamento, Centro de Visitantes e na estrutura de visitação, de ampliação dos atrativos turísticos nas áreas de uso público e definição de novo sistema de mobilidade.

Deve ser prevista autossuficiência energética do parque, com aproveitamento do potencial hidráulico da Usina São João / instalação de painéis solares no estacionamento e Centro de Visitantes / e biogás no Hotel das Cataratas e Porto Canoas.

Teatro Municipal

Ideia é reaproveitar o projeto arquitetônico de transformação do Cineteatro dos Barrageiros em teatro municipal para outro terreno, com as mesmas características.

Novo local pode ser a Beira Rio existente ou nas proximidades da foz do Rio Monjolo.
Área total: 2.363,30 m²
Área do teatro: 1.580,00 m²
Área de eventos: 423,00 m²
Área para escola de teatro: 360,30 m².

Projeto elaborado pela equipe da FPTI.

Valor estimado do investimento: R$ 25 milhões.

Projetos complementares à Perimetral Leste

Alças de acesso à Avenida General Meira;
Trincheira na Avenida Felipe Wandscheer;
Trincheira na Avenida República Argentina.

Novas trincheiras

Projeto de trincheira na Rua Teodoro Risden, para quem vai do centro de Foz e faz conversão à esquerda para entrar no bairro Três Bandeiras/Hotel Rafain Palace.

Projeto de trincheira CTG Charrua/BR-277, para eliminar um dos gargalos criados pela construção do novo viaduto e facilitar o acesso à rodovia federal, com segurança.

Alexandre Palmar - H2FOZ

Alexandre Palmar é jornalista em Foz do Iguaçu. E-mail: [email protected] Veja mais conteúdo do autor.

Alexandre Palmar - H2FOZ tem 126 posts e contando. Ver todos os posts de Alexandre Palmar - H2FOZ