Novo decreto: comércio e gastronomia em Foz podem funcionar com 100% do público e sem horário limite

Comércio da Avenida Brasil, no centro de Foz do Iguaçu - Foto: Marcos Labanca

Normativa também dispõe sobre as atividades de danceteria, salões de dança, casas noturnas e de shows; leia o decreto.

Novo decreto autoriza municipal autoriza, a partir desta sexta-feira, 15, o funcionamento de atividades comerciais, industriais, religiosas, gastronômicas e de serviços com 100% da capacidade de público em Foz do Iguaçu. Para esses ramos, não haverá limitação de horário.

Os estabelecimentos terão a responsabilidade de supervisionar que todas as pessoas, incluindo o público em geral, utilizem as máscaras de proteção facial contra a covid-19. O decreto refoça que o uso correto é mediante a cobertura total do nariz e da boca.

As empresas devem asseguar os meios de higienização das mãos, “isponibilizando água, sabonete líquido e papel toalha e/ou álcool 70%”. Esses itens deverão permacer posicionados em pontos de maior circulação, de forma visível e com facilidade de acesso.

A normativa, veiculada na edição desta quinta-feira, 14, do Diário Oficial do Município (DOM), também estabelece que “ficam autorizadas a funcionar com até 70% da capacidade de público”, as seguintes atividades: discoteca, danceteria e salões de dança; e casas noturnas e de shows.

Veja a íntegra do decreto:

DECRETO Nº 29.636, DE 14 DE OUTUBRO DE 2021.

Dispõe sobre medidas sanitárias para a prevenção da Pandemia do Novo Coronavírus – COVID-19, no Município de Foz do Iguaçu e revoga atos normativos.

O Prefeito Municipal de Foz do Iguaçu, Estado do Paraná, em Exercício, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo inciso I, do art. 86, da Lei Orgânica do Município;

D E C R E T A:

Art. 1º Ficam alterados os arts. 1º, 3º, 8º, 12, 13, 14, 15 e 21, do Decreto nº 29.078, de 29 de março de 2021, passarão a vigorar com a seguinte redação:

“Art. 1º A partir do dia 15 de outubro de 2021, as atividades comerciais, industriais, religiosas, gastronômicas e de serviços estabelecidas no Município de Foz do Iguaçu, poderão funcionar com 100% (cem por cento) da capacidade de público e sem limitação de horário de funcionamento, mediante cumprimento do Termo de Responsabilidade Sanitária e todas as demais medidas sanitárias.

[…]

§ 3º Revogado.

[…]

§ 6º Revogado.

§ 7º Revogado.

§ 8º Revogado.

§ 9º As atividades comerciais, industriais, religiosas e de serviços estabelecidas no Município de Foz do Iguaçu, devem cumprir com as medidas sanitárias estabelecidas neste Decreto, além daquelas previstas no Termo de Responsabilidade Sanitária.

§ 10. O uso de máscara de proteção facial é obrigatório para todas as pessoas que estiverem fora de sua residência, em espaço de uso público ou de uso coletivo, enquanto perdurar o estado de calamidade pública decorrente da pandemia do Coronavírus (SARS-CoV-2).

§ 11. É responsabilidade dos estabelecimentos supervisionarem que todas as pessoas, incluindo o público em geral, utilizem as máscaras de proteção facial, da forma correta com cobertura total do nariz e da boca, durante todo o período de permanência no local, independentemente de estarem ou não em contato direto com o público, salvo quando estiverem se alimentando.

§ 12. Os estabelecimentos devem assegurar condições para que as pessoas higienizem as mãos no local, disponibilizando água, sabonete líquido e papel toalha e/ou álcool 70% (setenta por cento), posicionados em pontos de maior circulação, de forma visível e com facilidade de acesso.

§ 13. Os estabelecimentos devem assegurar condições para o distanciamento físico mínimo de 1,0m (um metro) entre pessoas.” (NR)
“Art. 3º Revogado.” (NR)

“Art. 8º Ficam autorizadas a funcionar com até 70% (setenta por cento) da capacidade de público as seguintes atividades:

I – discoteca, danceteria e salões de dança;

II – casas noturnas e de shows;

[…]

X – Revogado.

[…]

§ 7º Revogado.” (NR)

“Art. 12. […]

I – controle das filas;

[…]

III – Revogado;

IV – Revogado;

V – as atividades nos espaços de recreação e brinquedos coletivos infantis, incluindo as localizadas em feiras e espaços públicos, podem ser realizadas mediante cumprimento das normas estabelecidas neste Decreto e no Termo de Responsabilidade Sanitária, o qual deve ser mantido no estabelecimento e apresentado para efeitos de fiscalização.”

(NR)

“Art. 13. […]

I – Revogado;

[…]

III – Revogado;

IV – Revogado;

[…]

VI – Revogado.” (NR)

“Art. 14. […]

[…]

VIII – Revogado.

[…]

X – Revogado.

[…]

XIII – Revogado.

XIV – Revogado.

[…]

§ 1º Revogado.

[…]

§ 3º

[…]

I – Revogado.

[…]

III – Revogado.

[…]” (NR)

“Art. 15. Revogado.

Parágrafo único. Revogado.” (NR)

“Art. 21. Revogado.

I – Revogado.

II – Revogado.” (NR)

Art. 2º

Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.

Gabinete do Prefeito Municipal de Foz do Iguaçu, Estado do Paraná, em 14 de outubro de 2021

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

Paulo Bogler - H2FOZ

Paulo Bogler é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

Paulo Bogler - H2FOZ tem 1348 posts e contando. Ver todos os posts de Paulo Bogler - H2FOZ