Observatório Social supera R$ 60 milhões em economia aos cofres públicos

Reunião entre direções do OSB - FI e da Unila para parcerias - Foto: Divulgação/Unila

Valor é resultado do acompanhamento de licitações; dados integram relatório de prestação de contas à comunidade.

O Observatório Social do Brasil – Foz do Iguaçu (OSB – FI) atingiu R$ 62 milhões em economia aos cofres públicos, resultado do trabalho de monitoramento das licitações e compras públicas entre 2011 e 2021. Os dados são parte do último relatório quadrimestral da entidade, disponível para acesso público em fozdoiguacu.osbrasil.org.br.

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

A atuação consiste na análise de cada licitação da prefeitura e outros órgãos municipais, realizada por voluntários e técnicos do OSB – FI. O controle social ainda prevê o acompanhamento das compras públicas. Quando é necessário, a entidade pede o ajuste na documentação e, se não é atendida, encaminha a demanda à promotoria e órgãos de controle.

Somente no relatório de setembro a dezembro de 2021, o Observatório Social contabiliza o acompanhamento de 162 licitações, entre pregões, tomadas de preço e concorrências públicas. O monitoramento abrange compras da administração iguaçuense, Câmara de Vereadores, Hospital Municipal e quatro autarquias.

“As pessoas se perguntam como podem ajudar a fazer uma cidade melhor”, expõe Danilo Vendruscolo, presidente do OSB. “Uma alternativa é juntar-se ao Observatório Social, espaço para que cada cidadão faça a sua parte, atuando no controle social para que os recursos sejam investidos onde devem ser, ou seja, no bem da coletividade”, convida.

Danilo Vendruscolo convida o cidadão a ser voluntário do OSB – FI – Foto Marcos Labanca

Segundo o dirigente, os resultados divulgados pela organização da sociedade civil periodicamente demonstram a relevância pública desse trabalho voluntário. “Prestar contas à sociedade com os relatórios é nosso compromisso, mas também é um chamado à cidadania para fortalecer o controle social em nossa cidade”, sublinha Danilo.

Monitoramento do dinheiro público

O relatório quadrimestral do Observatório Social inclui a atuação da entidade em várias frentes e expõe as demandas encaminhadas ao poder público municipal, inclusive as que não foram atendidas. Um dos destaques é o acompanhamento das obras públicas, com a verificação de prazos, projetos, valores e qualidade das construções.

Thyago Klipe: “O trabalho é sistemático, diário e com metodologia” – Foto: Divulgação

“O trabalho é sistemático, diário e com metodologia. Cada licitação, compra ou obra fiscalizada gera um processo que integra os relatórios quadrimestrais”, explica o coordenador do Observatório Social, Thyago Klipe. “Com essa documentação, monitoramos a economia gerada ao munícipe e a aplicação, pela gestão, dos ajustes solicitados”, completa.

Faça parte

Transforme a sua indignação em atitude. Esse é o slogan do Observatório Social em Foz do Iguaçu, cujo trabalho é mantido por voluntários e técnicos. As atividades são custeadas por mantenedores – empresas e pessoas físicas –, e a entidade mantém atendimento no Centro Integrado de Desenvolvimento (CID), que reúne dezenas de organizações da sociedade civil.

Acompanhe o Observatório Social:
Site: fozdoiguacu.osbrasil.org.br
Facebook: www.facebook.com/osdefoz
Instagram: @osbfozdoiguacu
WhatsApp: (45) 98823-5350

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Paulo Bogler - H2FOZ

Paulo Bogler é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.