Paraguai lança neste sábado, 20, seu primeiro satélite espacial

Ele é bem pequeno: um cubo de apenas 10x10x10 centímetros. Mas será responsável por levar a bandeira do Paraguai ao espaço, a partir deste sábado (20).

O nanossatélite (nano, em grego, significa anão) GuaraniSat-1 foi desenvolvido numa parceria entre o Paraguai, o Instituto Tecnológico de Kyushu (Kyutech), no Japão, e as Filipinas, que também estreou no espaço, graças a um programa das Nações Unidas.

O Paraguai já tem a sua agência espacial, para definir não apenas a missão do novo satélite, como dar novos passos espaciais, com a criação de equipes e grupos de investigação para estudar, lá das alturas, a solução para problemas terrestres.

Na parede de uma sala da Kyotech, está lá o desenho do satélite paraguaio, em detalhes.

No caso do GuaraniSat-1, ele contará com duas estações terrestres, para receber os dados que vai transmitir. Uma delas foi instalada num prédio da Universidade Nacional de Assunção, na localidade de San Lorenzo (perto da capital), e outra no Chaco Paraguaio.

O diretor-geral de Execução e Desenvolvimento Espacial, Alejandro Román, disse ao jornal Última Hora que a observação do espaço poderá ser útil, para exemplo, para planejar ações que reduzam o impacto produzido por inundações e queimadas.

Mas já existe um problema específico para o qual o satélite pode ter sido talhado: fornecer dados sobre as áreas do Chaco Paraguaio onde se encontram os insetos transmissores do Mal de Chagas, doença que é endêmica naquela região do país.

RUMO À ESTAÇÃO

O satélite irá junto com a carga de reabastecimento da Estação Espacial Internacional. Foto Agência Espacial do Paraguai

Seja como for, o evento deste sábado é considerado histórico para o Paraguai. O GuaraniSat-1 fará parte da carga da nave de reabastecimento Cygnus, que o foguete Antares vai levar para a Estação Espacial Internacional, como informa também a agência IP.

O satélite vai permanecer por duas a seis semanas na Estação Espacial, até que seja posto em órbita por meio de um braço robótico, em março ou abril.

Segundo a Agência Espacial do Paraguai, o satélite foi desenhado e construído por engenheiros paraguaios, que se capacitaram num programa internacional das Nações Unidas, desenvolvido pela empresa japonesa Kyutech.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.