Buscas por avião brasileiro desaparecido são suspensas na Argentina

Mau tempo na região de Comodoro Rivadavia tem atrapalhado as buscas. Imagem: EANA / Twitter.

Aeronave, com três brasileiros a bordo, sumiu do radar há uma semana na Patagônia argentina.

Sem sinal do paradeiro do monomotor brasileiro PP-ZRT, que desapareceu no último dia 6, com três pessoas a bordo, a Empresa Argentina de Navegação Aérea (EANA) comunicou, na tarde de segunda-feira (11), a suspensão das buscas nos arredores de Comodoro Rivadavia, Região Sul do país.

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

A aeronave, do tipo Van’s RV-10, era tripulada pelo empresário Antônio Carlos Castro Ramos (proprietário do avião), pelo advogado Mário Pinho e pelo médico Gian Carlos Nercolini, moradores de Florianópolis. O trio, com ampla experiência de voo, tinha ido à Argentina para a comemoração do aniversário de um aeroclube local.

Imagem recente da aeronave, no arquivo pessoal do proprietário.

Na manhã de quarta-feira (6), eles partiram do aeroporto de El Calafate, na Patagônia, com destino à cidade de Trelew. As condições atmosféricas em parte do trajeto não eram as mais adequadas, o que pode ter influído no desaparecimento. O último contato foi próximo a Comodoro Rivadavia, em trecho entre a costa e o Oceano Atlântico.

Para as buscas, equipes de ar, terra e patrulhamento do litoral foram mobilizadas pelas autoridades argentinas, sem resultados. A grande extensão da área pesquisada, além de situações de mau tempo e baixa visibilidade, prejudicaram os esforços e levaram à decisão pela suspensão.

Reprodução do comunicado da EANA.

“Apesar de todo o esforço nos trabalhos de busca, não foi encontrado nenhum rastro da aeronave e de seus ocupantes. Diante da suspensão da operação, o Subcentro SAR Comodoro Rivadavia mantém-se em estado de alerta”, descreve o comunicado da EANA.

Uma nova possibilidade, aberta nesta quarta-feira (13) pela Defesa Civil da província de Chubut, é o uso de equipamentos de rastreio submarino no litoral próximo a Camarones, um dos últimos pontos de contato. Familiares dos brasileiros desaparecidos permanecem na Argentina para acompanhar o andamento dos trabalhos.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Guilherme Wojciechowski - H2FOZ

Guilherme Wojciechowski é repórter colaborador do H2FOZ. E-mail: [email protected] - Veja mais mais conteúdo do autor.