Operação conjunta gera perdas de US$ 19,5 milhões ao tráfico na fronteira

Forças do Brasil e do Paraguai participaram de mais uma edição da Operação Nova Aliança, de combate ao tráfico de drogas.

Apoie! Siga-nos no Google News

Forças do Brasil e do Paraguai participaram de mais uma edição da Operação Nova Aliança, de combate ao tráfico de drogas.

A Secretaria Nacional Antidrogas (Senad), do Paraguai, divulgou, na manhã desta sexta-feira (9), o balanço da nova edição da Operação Nova Aliança, desenvolvida em conjunto com a Polícia Federal (PF) do Brasil. O prejuízo causado aos narcotraficantes foi calculado em mais de US$ 19,5 milhões (R$ 100,5 milhões).

De acordo com o relatório, durante os dez dias de trabalho nas localidades paraguaias de Cerro 21, Rosalina, Cadete Boquerón e Alpasa, situadas nas proximidades da fronteira seca com Mato Grosso do Sul, foram eliminados 205 hectares de plantações de maconha, que renderiam, no mínimo, 615 toneladas da erva.

A operação resultou ainda na apreensão de 35,4 toneladas de maconha já colhidas e 2,3 toneladas do entorpecente prensado e embalado. Em relação à estrutura, foram desmantelados 107 acampamentos usados por camponeses a serviço do tráfico em áreas de difícil acesso por terra.

Para contornar as dificuldades do terreno, os agentes empregaram helicópteros e equipamentos de reconhecimento. “Os deslocamentos aéreos foram constantes e serviram para obter perspectivas mais determinantes dos cultivos em diferentes etapas de crescimento”, detalha a Senad, em nota distribuída à imprensa.

A 34.ª edição da Operação Nova Aliança teve a participação também de policiais e militares da Força Tarefa Conjunta (FTC), do Paraguai, e do Ministério Público do país.

LEIA TAMBÉM

Comentários estão fechados.