Operação Dakovo prende quatro suspeitos em Ciudad del Este

Investigação comandada por forças do Brasil, Paraguai e Estados Unidos teve como alvo o tráfico internacional de armas.

Apoie! Siga-nos no Google News

Deflagrada de forma simultânea, nessa terça-feira (5), no Brasil, no Paraguai e nos Estados Unidos, a Operação Dakovo, de combate ao tráfico internacional de armas, resultou na prisão de 13 suspeitos em território paraguaio. Quatro dos presos, de nacionalidade paraguaia, foram localizados em Ciudad del Este.

Leia também:
Megaoperação contra tráfico de armas tem mandado em Foz do Iguaçu
Operação Dakovo: general e coronel são presos no Paraguai

O cumprimento dos mandados de prisão, busca e apreensão esteve a cargo da Secretaria Nacional Antidrogas (Senad) e do Ministério Público do Paraguai, que vistoriaram endereços na capital do Alto Paraná, nos municípios vizinhos de Minga Guazú e Hernandarias e em cidades da região de Assunção.

Especificamente na fronteira, os agentes estiveram em um shopping da Avenida Adrián Jara, nos arredores da Ponte da Amizade, para vistoriar uma loja de caça e pesca que estaria sendo usada como fachada para a venda de armas. O endereço, contudo, já estava ocupado por um novo inquilino, sem relação com os locatários anteriores.

No bairro Remansito, foi cumprido mandado de prisão contra um homem de primeiro nome Aldo. No bairro Che La Reina, um homem de 45 anos foi preso de posse de um rifle, três pistolas, três carregadores e munições diversas. No limite entre Ciudad del Este e Minga Guazú, foram presos dois irmãos, suspeitos de envolvimento com o esquema.

Cumprimento de um dos mandados em Ciudad del Este. Foto: Gentileza/Ministério Público
Cumprimento de um dos mandados em Ciudad del Este. Foto: Gentileza/Ministério Público

A lista de 13 detidos em território paraguaio tem quatro militares, incluindo um general, um coronel e uma capitã, que atuam ou tiveram atuação recente na Direção Nacional de Materiais Bélicos (Dimabel), órgão responsável pelo registro e fiscalização de armamentos em circulação no país.

A peça central do esquema de importação de armas europeias, desviadas para organizações criminosas brasileiras, seria um empresário de nacionalidade argentina, residente em Assunção, que está foragido. O empresário e a esposa, uma ex-modelo argentina, são apontados como os principais beneficiários da movimentação milionária.

A operação dessa terça também resultou, no Paraguai, na apreensão de 611 armas de grosso calibre e 1.212 pistolas, arsenal avaliado em US$ 5,2 milhões (R$ 26 milhões). Os agentes confiscaram, ainda, cifras em dinheiro (dólares, guaranis e cheques), documentos e equipamentos eletrônicos.

Depuração

Questionado sobre o envolvimento de militares de alta patente no tráfico internacional de armas, o ministro paraguaio da Defesa, Óscar González, disse que fará uma extensa apuração interna com o objetivo de depurar os quadros.

“É um impacto muito forte, uma mancha”, reconheceu González, citado pelo jornal La Nación. “Estamos à disposição do Ministério Público e faremos ainda mais, no sentido de colaborar para sanear completamente a instituição. As Forças Armadas precisam recuperar seu status após esses fatos vergonhosos e criminosos.”

LEIA TAMBÉM