PF participa de operação para desvendar atentado no Paraguai

Impactos de bala na caminhonete pertencente ao policial. Imagem: Radio Uno / Twitter.

Investigações apontam que ordem para atacar policial paraguaio teria partido de traficantes brasileiros.

A Delegacia de Polícia Federal (PF) em Foz do Iguaçu informou à imprensa, nesta quinta-feira (28), que está colaborando com a operação internacional para capturar os envolvidos no atentado contra o subdelegado Fernando Ariel Ruiz Díaz Ortega, representante da Polícia Nacional do Paraguai no Comando Tripartite de Segurança.

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

Conforme noticiado pelo H2FOZ, a tentativa de homicídio ocorreu na manhã de segunda-feira (25), na cidade paraguaia de Juan León Mallorquín. O policial teve a caminhonete interceptada por indivíduos que efetuaram pelo menos 14 disparos. Ruiz Díaz reagiu ao ataque e conseguiu escapar ileso.

“A Polícia Federal vem acompanhando o desenrolar das investigações e apoiando a operação policial através do fornecimento de informações e do suporte técnico-pericial. As investigações ainda encontram-se em andamento para a identificação dos demais envolvidos no atentado e sua posterior localização”, comunica a corporação brasileira.

Na tarde de quarta-feira (27), agentes da Polícia Nacional detiveram o quarto suspeito de participação no crime. O homem, 40 anos, de nacionalidade paraguaia, seria o responsável por levar os atiradores até a região de Juan León Mallorquín e alugar uma quitinete que serviu como base para monitorar a rotina do alvo.

Na segunda-feira, quatro horas após o crime, três brasileiros foram detidos: Adriano BL, de 40 anos, Andrey NS, 18, e Wilson FNP, 31. O trio estava em uma área de mata próxima ao local onde foi abandonada a caminhonete empregada no ataque. Com eles, foram apreendidos coletes antibalísticos, um fuzil calibre 5.56, munições e um carregador.

Já quanto ao veículo Hyundai Creta (inicialmente, foi informado o modelo Suzuki Vitara) que transportou os atiradores e bloqueou o caminho do subdelegado, o registro do chassi indica a existência de denúncia de roubo na cidade de São Paulo, datada de 9 de abril.

A linha de investigação seguida pelos policiais paraguaios sustenta que o atentado foi ordenado por traficantes brasileiros que atuam na região de fronteira, com pelo menos dois nomes sob monitoramento. Informações podem ser repassadas, de forma anônima, ao Disque-Denúncia da Polícia Federal, pelo número 45 99116-8691 (telefone/WhatsApp).

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Guilherme Wojciechowski - H2FOZ

Guilherme Wojciechowski é repórter colaborador do H2FOZ. E-mail: [email protected] - Veja mais mais conteúdo do autor.