Ponte da Integração Brasil–Paraguai terá teste de carga em novembro

Previsto para o final de novembro, exame é uma das etapas prévias à entrega da obra.

Apoie! Siga-nos no Google News

Em fase final de execução, a Ponte da Integração Brasil–Paraguai, sobre o Rio Paraná, entre Foz do Iguaçu e Presidente Franco, terá mais uma etapa decisiva no mês de novembro: o teste de carga, procedimento que antecede a entrega oficial da obra. O objetivo é avaliar a segurança e a estabilidade da estrutura.

De acordo com a diretoria paraguaia de Itaipu, a previsão é que o teste seja aplicado no final de novembro. Em declarações reproduzidas pela assessoria da binacional, Pánfilo Benítez, engenheiro que integra a Diretoria de Coordenação e acompanha o andamento da obra, disse que é necessária uma série de ajustes antes do exame.

“Esse procedimento precisa de tempo. Primeiro, é preciso fazer toda a parte de asfalto, instalar a estrutura das grades, dos protetores, do sistema de iluminação, entre outros detalhes, para só depois executar o teste de carga”, explicou o engenheiro.

Panorama da pista da Ponte da Integração, com os prédios de Foz do Iguaçu ao fundo. Imagem: Marcos Labanca/H2FOZ

Segundo Benítez, devido às características da obra, a proposta é fazer um teste de carga dinâmica, considerado ideal para avaliar a estrutura. Com 760 metros de extensão, vão-livre de 470 metros e 60 metros de altura média sobre o Rio Paraná, a nova ponte é do tipo estaiada, sustentada por cabos instalados em dois pilares com 180 metros de altura.

Outro ponto destacado pelo engenheiro é a drenagem da água da chuva, que utiliza um sistema até então inédito nas pontes do Paraguai. “Haverá um tubo grande, de 40 centímetros, que coletará toda a água em um decantador sob a ponte, com a extração da parte contaminada e a devolução de água limpa ao rio”, detalhou.

Se tudo correr como o planejado, a estimativa é que o tráfego dos primeiros veículos sobre a ponte seja liberado no mês de dezembro, em caráter de operação experimental. Já a passagem de caminhões de carga, que depende da conclusão das aduanas nas duas cabeceiras, ainda não tem data definida.

LEIA TAMBÉM

Comentários estão fechados.