Ponte da Integração chega a 86% de execução; restam só 76 metros para a união das duas margens

Entrega da obra está prevista para este ano - Foto: Ari Dias/AEN
Siga a gente no

No canteiro de obras brasileiro prossegue o trabalho em torno das aduelas – uma delas será a de fechamento, que unirá o vão central da estrutura ligando Foz do Iguaçu e Presidente Franco.

Precisamente 76,80 metros – no vão central – separam a nova união entre Brasil e Paraguai pela Ponte da Integração, empreendimento que ligará Foz do Iguaçu e Presidente Franco. Boletim mensal da evolução das obras demonstra que o trabalho atingiu 86% de execução em junho.

De acordo com o Consórcio Ponte Brasil–Paraguai, a atividades incluíram o lançamento de aduelas metálicas, posicionamento das lajes pré-moldadas e concretagem para a interligação entre as aduelas. Foi feito o tensionamento do 15º par de estais em direção ao Rio Paraná, na margem brasileira, o 13º na parte paraguaia.

Informa o boletim que, no canteiro de obras do Brasil, continuam sendo executadas as pré-montagens das aduelas. “Durante o mês de junho, deve ocorrer o lançamento das lajes pré-moldadas sobre a aduela metálica 5.13, concretagem das mesmas e tensionamento das cordoalhas que compõem o 13º par de estais em direção ao vão central da ponte”, expõe.

Prossegue o boletim apontando que, neste mês, “ocorreu o lançamento da aduela metálica 5.14 no vão central da ponte para o processo de solda”. Essa ação inclui “a consolidação da laje que corresponde à aduela”, diz o informe divulgado nesta quinta-feira, 23, pelo consórcio.

Com previsão de entrega para 2022, a segunda ponte entre o Brasil e o Paraguai tem aporte de R$ 323 milhões. O empreendimento irá reforçar a integração entre os países do Mercosul, abrindo novas frentes de desenvolvimento nas áreas de turismo, logística e comércio internacional.

A edificação terá 760 metros de comprimento e um vão-livre de 470 metros. Serão duas pistas simples com 3,6 metros de largura, acostamento de três metros e calçada de 1,7 metro nas laterais. O recurso financeiro é da Itaipu Binacional, e a gestão da obra é realizada pelo Governo do Paraná.

A Ponte da Integração compreende, entre as obras complementares, a Perimetral Leste, via rodoviária ligando a nova aduana à rodovia BR-277. Com efeito, contribuirá para o fluxo de cargas entre os países e desafogará o tráfego de veículos pesados pela região central de Foz do Iguaçu e pelo corredor turístico.

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Paulo Bogler - H2FOZ

Paulo Bogler é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

-->