Presidentes do Brasil e do Paraguai visitam na terça, 1º, obras da Ponte da Integração

Os presidentes do Brasil e do Paraguai já tiveram dois encontros na região de fronteira: na posse do general Joaquim Silva e Luna na Itaipu e no lançamento da pedra fundamental da Ponte da Integração, em 2019. Depois da pandemia, só conversaram por telefone.

Nesta terça-feira, 1º, terão outro encontro em Foz do Iguaçu, para visitar as obras da Ponte da Integração Brasil – Paraguai, financiada pela margem brasileira da usina de Itaipu, e participar de uma reunião de trabalho no Hotel Recanto Cataratas.

Segundo a Comunicação Social de Itaipu, virão ministros de Estado e o governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior, que serão recepcionados pelo diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna.

Esta será a quarta visita do presidente Bolsonaro a Foz do Iguaçu e a sexta ao Paraná durante o exercício do mandato.

O jornal ABC Color informou que, além de conversar com Bolsonaro sobre a situação das obras viárias construídas com o Brasil (há ainda a ponte Carmelo Peralta e Porto Murtinho, no Rio Paraguai, a ser financiada pela margem paraguaia de Itaipu), Mario Abdo Benítez falará também sobre a situação do comércio de fronteira dos dois países, duramente golpeado pelo fechamento de fronteiras.

Abdo disse ainda que está conversando com o governo argentino para que seja reaberta “o antes possível” a fronteira com o país. “As condições estão dadas pelo governo paraguaio, falta só o aceite da Argentina”, disse o presidente.

Será o terceiro encontro “ao vivo” dos presidentes. Foto Rubens Fraulini

Viagens a Foz

No mês passado, o presidente Bolsonaro esteve em Renascença, no noroeste do Paraná, para o lançamento da revitalização de um trecho de quase 48 quilômetros da Estrada Boiadeira, que terá também aporte de recursos da usina de Itaipu. A margem paraguaia da usina vai financiar a ponte sobre o Rio Paraguai que ligará Porto Murtinho (MS) e Carmelo Peralta, no país vizinho, com acesso ao Oceano Pacífico.

As duas obras – a ponte em Porto Murtinho e a revitalização da Estrada Boiadeira – farão conexão com a tão sonhada rota bioceânica, entre os oceanos Atlântico e Pacífico. O corredor permitirá a ligação dos portos brasileiros de Santos (SP) e Paranaguá ao Norte do Chile, reduzindo em até duas semanas o tempo de viagem das exportações do Brasil até os países do Oriente, principalmente China, Japão e Coreia do Sul.

Segunda ponte do Rio Paraná

Ponte é financiada pela margem brasileira de Itaipu. A margem paraguaia vai financiar a ponte entre Porto Murtinho e Carmelo Peralta. Foto Patrícia Iunovich

A Ponte da Integração Brasil – Paraguai, no Rio Paraná, é um sonho de mais de 30 anos da população que vive na fronteira entre os dois países, que finalmente será concretizado com o financiamento da obra pela margem brasileira da usina. Com quase 45% por cento das obras concluídas, a nova conexão vai desafogar o trânsito na Ponte da Amizade.

Do tipo estaiada, a ponte terá 760 metros de comprimento, com vão-livre de 470 metros, e contará com pista de 3,7 metros de largura em cada faixa, acostamento de 3 metros e calçada de 1,70 metro.

A nova ponte entre Brasil e Paraguai é uma obra do governo federal, com gestão do governo do Paraná (por meio do Departamento de Estradas de Rodagem – DER) e recursos da Itaipu Binacional. Estão sendo investidos na construção aproximadamente R$ 463 milhões, considerando a estrutura, as desapropriações e a criação da perimetral no lado brasileiro, que ligará a ponte à BR-277.

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.