Receita Federal em Foz destrói R$ 490 milhões em cigarros de contrabando

Mais 6 milhões de maços de cigarros serão destruídos pelo órgão federal - Foto: Divulgação

Foram quase 100 milhões de maços, resultado de apreensões em 2021; filtro vira madeira ecológica, e papel e plástico vão para a reciclagem.

A Receita Federal do Brasil (RFB) em Foz do Iguaçu destruiu R$ 491,3 milhões em cigarros contrabandeados, o que corresponde a mais de 97 milhões de maços de cigarros. O produto foi apreendido em 2021, em regiões do Paraná e do Mato Grosso do Sul, por meio da integração das forças de segurança e fiscalização, com o apoio do Fórum Nacional Contra a Pirataria e a Ilegalidade (FNCP).

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

A Alfândega de Foz do Iguaçu possui maquinário exclusivo no país, capaz de destruir de 800 a 1.000 caixas de cigarro por dia, de modo sustentável. Durante o processo, os resíduos dos cigarros apreendidos são separados por tipo de material componente, tendo a seguinte destinação:

  • resíduos do fumo são destinados para coprocessamento em cimenteiras e cerâmicas como fonte de energia;
  • desse processo, resíduos da ordem de 3% a 5% são reaproveitados como parte da matéria-prima para produção de cimento e tijolos;
  • papel e plástico são encaminhados para cooperativas de reciclagem; e
  • filtro, juntamente com os resíduos de plástico de isqueiros, vai para produção de madeira ecológica.

“No pátio da Alfândega de Foz do Iguaçu, aproximadamente 6 milhões de maços de cigarros contrabandeados ainda estão aguardando a devida destinação”, informou a assessoria da RFB. Segundo o órgão, a invalidação do produto deverá ocorrer em cerca de 15 dias.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

Paulo Bogler - H2FOZ

Paulo Bogler é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.