Receita Federal recolhe R$ 700 mil em mercadorias na BR-277

Em outra ação, três mulheres foram abordadas com eletrônicos e disseram que ganhariam R$ 500 pelo transporte.

Apoie! Siga-nos no Google News

A Receita Federal do Brasil (RFB) informou ter confiscado R$ 700 mil em mercadorias consideradas ilegais pelo órgão, na BR-277, nesse domingo. As abordagens foram a dois ônibus que saíram de Foz do Iguaçu.

Reportagem especial:
Hospital Municipal: mudança de gestão e o futuro da saúde pública em Foz do Iguaçu
Unila expõe o que é preciso acontecer para a criação do hospital universitário

O primeiro veículo ia para Canoinhas, em Santa Catarina, sendo retido na praça de pedágio em São Miguel do Iguaçu. O segundo coletivo seguia para São José do Rio Preto, em São Paulo, e foi parado em Céu Azul.

A soma das mercadorias apreendidas, conforme a Receita Federal reportou à imprensa, é de R$ 700 mil. Entre os itens, citou o órgão, estão eletrônicos, informática, smartphones, notebooks, cigarros eletrônicos e outros.

“Os itens e os veículos foram encaminhados para a alfândega”, informou a Receita Federal em Foz do Iguaçu. Eles agora passam por averiguação e procedimentos previstos no protocolo. Os passageiros foram liberados.

R$ 500 para o transporte

Já nesta segunda-feira, 11, a Receita Federal abordou três mulheres em um veículo com placas brasileiras, no qual estavam mercadorias ilegais. A fiscalização de rotina ocorreu na praça de pedágio da BR-277 em São Miguel do Iguaçu.

Foi encontrada grande quantidade de eletrônicos, como celulares, tablets e fones de ouvido, de marcas com alto valor agregado. Os produtos não tinham a documentação adequada, frisou a RFB.

O carro e os produtos foram apreendidos – foto: Divulgação/RFB


“As mulheres afirmaram que o destino final dos eletrônicos seria a cidade de Céu Azul”, no Oeste, reproduziu a Receita Federal. “E que receberiam R$ 500 para a entrega das mercadorias, estimadas em R$ 50 mil.”

O veículo foi levado para a sede da alfândega em Foz do Iguaçu para uma verificação detalhada. As mercadorias foram todas apreendidas, pontuou o órgão federal.

LEIA TAMBÉM

Comentários estão fechados.