Dengue: Foz registra quase mil notificações e 109 casos em apenas uma semana

Aedes aegypti transmite a dengue e outras doenças - Foto: Fotos Púbicas

Em somente sete dias, número de confirmações foi equivalente a 25% do total registrado desde agosto.

O boletim divulgado pela Divisão de Vigilância Epidemiológica de Foz do Iguaçu nesta quinta-feira (5) mostra que, em apenas uma semana, a cidade registrou 948 notificações de casos suspeitos de dengue e 109 confirmações da doença. O número de confirmações serve de alerta, pois corresponde a 25% do total registrado desde agosto de 2021, início do ano epidemiológico: 427.

Dos 427 casos confirmados, 17 foram classificados como “dengue com sinais de alarme”, ou seja, 4% do total. Foz não registrou óbitos pela doença, porém municípios próximos como Medianeira e Matelândia já contabilizaram mortes.

Em Foz, a área mais crítica segue sendo o Distrito Sanitário Leste, que compreende a região do Morumbi, com 32% dos casos confirmados, seguido pelo Norte (25%), Oeste (14%), Sul (14%) e Nordeste (10%). Em oito casos não consta local de residência do paciente, 12 são de outros locais do Brasil, e dois procedentes do país vizinho Paraguai. Em relação à faixa etária, a maior concentração de casos está em pacientes entre 15 e 29 anos (36%). Depois aparece a de 30 a 44 anos (24%).

Combate

A limpeza dos quintais e terrenos ainda é a principal medida de combate à dengue. Os agentes de endemia estão em campo fazendo busca ativa, a fim de identificar pessoas contaminadas, com base em registros de casos feitos nas unidades básicas de saúde (UBSs). Também são realizadas fiscalizações em terrenos baldios e visitas em casas de moradores. O fumacê, que era aplicado regularmente em anos anteriores, deixou de ser usado porque o mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença, ficou resistente ao veneno.

Uma novidade no combate à doença é a instalação de estações disseminadoras de larvicidas (EDLs), projeto da Fiocruz Amazônia em parceria com o Ministério da Saúde. As estações são um tipo de armadilha que consiste em um pote plástico com água recoberto de tecido preto com o larvicida em pó. Ao entrar em contato com material, a fêmea do mosquito se contamina com o larvicida e dissemina o produto para outros criadouros onde distribui seus ovos.

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

A meta da prefeitura é instalar pelo menos 1.200 armadilhas no município em uma primeira etapa. Mais de 350 já estão em funcionamento na Vila C, Portal da Foz, Jardim América, Porto Belo, Lagoa Dourada e Campos do Iguaçu.

Cuidados

Quem apresenta sintomas da dengue deve procurar uma UBS, onde é feita a avaliação e a pessoa recebe um cartão da dengue para acompanhamento dos sintomas. Se o caso evolui, é preciso ir até uma UPA.

Os principais sintomas da dengue são febre alta, dor de cabeça, mal-estar no corpo e náuseas. O tempo de incubação da doença é de três a cinco dias, e algumas pessoas podem ser assintomáticas. A dengue pode evoluir para a forma mais grave, principalmente em quem é contaminado mais de uma vez.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Vacy Junior - H2FOZ

Vacy Alvaro é repórter e coordenador dos infográficos do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.