Foz do Iguaçu e CDE fazem parte de projeto de planejamento de espaços públicos da ONU

Foto: Divulgação

Iniciativa tem como objetivo aumentar a capacidade das comunidades locais para aplicar o planejamento e desenho urbano, reforçando a cooperação transfronteiriça.

As cidades vizinhas Foz do Iguaçu e Ciudad del Este foram selecionadas para fazer parte de um novo projeto do Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (ONU-Habitat). A iniciativa foi lançada na segunda-feira (24), e nesta quinta-feira (27) está programado um encontro técnico com representantes dos dois municípios para a apresentação do plano de ação do projeto e para conhecimento das iniciativas de planejamento urbano já existentes na região.

O Conexões Urbanas – Planejamento de Espaços Públicos para Comunidades Inclusivas é uma parceria inédita entre as equipes do Brasil e do Líbano, do ONU-Habitat, em que há um piloto similar, além do Programa de Espaços Públicos e Divisões Globais da sede do ONU-Habitat no Quênia. O projeto será financiado pela Conta de Desenvolvimento das Nações Unidas.

Na América Latina, as atividades darão ênfase à dinâmica dos espaços públicos de seis municípios. Elas serão implementadas em dois grupos de cidades fronteiriças: Foz–CDE e Barracão, Bom Jesus do Sul, Dionísio Cerqueira (Brasil)–Bernardo de Irigoyen (Argentina).

Ao longo de dois anos, o projeto realizará capacitações com autoridades e lideranças locais, fará um diagnóstico dos espaços urbanos a partir de metodologias aplicadas em outros projetos do ONU-Habitat pelo mundo, e revisará políticas migratórias e urbanas.

O projeto entende que o desenvolvimento de cidades contribui para uma maior e melhor convivência entre as pessoas, estimulando trocas culturais e convívio harmônico entre seus usuários. Nesse sentido, tem como objetivo aumentar as capacidades das comunidades locais para aplicar o planejamento e desenho urbano visando à inclusão de todas as pessoas, promovendo a coesão social e reforçando a cooperação transfronteiriça entre as cidades selecionadas.

Lançamento
 

No evento de lançamento do projeto, realizado por videoconferência, o oficial sênior internacional do ONU-Habitat para o Brasil e Cone Sul, Alain Grimard, explicou a escolha das cidades. “As duas regiões já possuem práticas de cooperação transfronteiriça, a exemplo do Consórcio Intermunicipal da Fronteira, na região de Barracão, e do Conselho de Desenvolvimento Trinacional, na região de Foz do Iguaçu. Essas ações colaborativas acontecem sobretudo em espaços públicos, o que vai ao encontro da proposta do projeto de fortalecer as autoridades locais e elaborar políticas públicas que promovam coesão social, segurança e desenvolvimento econômico de cidades transfronteiriças”, afirmou Grimard.

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

O prefeito de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro, compartilha da mesma opinião. Para ele, “a cooperação entre as cidades da fronteira já é uma realidade há muitos anos. Mas ao fortalecer os municípios, o ONU-Habitat transformará essa articulação em políticas públicas mais consistentes, que vão nos proporcionar um grande avanço”.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Vacy Junior - H2FOZ

Vacy Alvaro é repórter e coordenador dos infográficos do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.