Moradores desocupam Duque de Caxias e mantêm exigência de voltar a morar no condomínio

Conjunto de moradias no bairro Morumbi foi interditado em 2019, pela Defesa Civil (Foto: Marcos Labanca)

H2FOZ – Paulo Bogler 

Proprietários de moradias no Condomínio Duque de Caxias desocuparam o prédio voluntariamente nessa terça-feira, 18. Cerca de 75 famílias haviam retornado ao imóvel, na noite da última sexta-feira, 14, alegando pressão da Caixa Econômica Federal de retirar-lhes o aluguel social caso não aceitem transferência para o Residencial Angatuba. 

Leia também: Moradores do Duque de Caxias querem garantir pagamento de aluguel e reconstrução do condomínio

No domingo, 16, a Justiça Federal atendeu à petição do banco e notificou os moradores a deixar o condomínio em 48 horas. O Duque de Caxias foi interditado em 2019 pela Defesa Civil, sob a alegação de risco à segurança por problemas estruturais da obra. A demolição do prédio foi questioonada e suspensa pela Justiça.  Desde então, os condôminos recebem R$ 890 da Caixa para o pagamento de casas alugadas nas proximidades do prédio.

Ao deixar o Condomínio Duque de Caxias, moradores divulgaram um documento em que mantêm as reivindicações à Caixa e ao Poder Judiciário, que são três:

– retorno das famílias ao condomínio, que fica no bairro Morumbi;

– termo assinado em que a Caixa se compromete a manter o aluguel social até a colocação definitiva das famílias; e

– indenização às famílias pelo que chamam de “despejo”, que foi a retirada dos moradores do residencial em fevereiro do ano passado. 

De acordo com a síndica do Condomínio Duque de Caxias, os moradores estão sendo responsabilizados por problemas que eles não causaram, mas cujo ônus está recaindo sobre eles. “Não fomos nós que ocasionamos toda essa situação. Exigimos que nossos direitos sejam respeitados”, expõe. 

No manifesto, os moradores pedem uma “solução amigável” imediatamente, com a participação de representantes da Caixa com capacidade de decisão. “Queremos que nos ouçam, nos respeitem e atendam às reivindicações”, conclui o documento dos moradores do condomínio. 

A Caixa, por sua vez, afirma que oferta 136 apartamentos no Residencial Angatuba, localizado na região de Três Lagoas, como “solução definitiva” à demanda. Conforme o banco, a obra está prevista para ser concluída em setembro, “e esses beneficiários [do Condomínio Duque de Caxias] devem assinar os novos contratos até o final do mês de agosto”.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

Paulo Bogler - H2FOZ

Paulo Bogler é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

Paulo Bogler - H2FOZ tem 1360 posts e contando. Ver todos os posts de Paulo Bogler - H2FOZ

error: O conteúdo protegido !!! Este conteúdo e de exclusividade do H2FOZ.