Número de famílias em extrema pobreza dobra em Foz do Iguaçu

Aumento ocorreu sobretudo após o ínicio da pandemia. Foto: Marcos Labanca
Siga a gente no

Total de famílias com renda mensal de até R$ 105 por pessoa é o maior desde 2012, quando foi implantado o Cadastro Único.

Mais de 15 mil famílias de Foz do Iguaçu se encontram em situação de extrema pobreza, ou seja, com renda mensal per capita (por pessoa)de até R$ 105. O número é o maior desde 2012, quando foi criado o Cadastro Único como porta de entrada para o recebimento dos benefícios do governo federal.

De janeiro de 2020 a abril de 2022, o número de famílias que se enquadram nessa faixa econômica mais do que dobrou, saltando de pouco mais de sete mil para 15 mil lares – um aumento de 111,1%.

O universo de 15 mil famílias representa mais de 35 mil pessoas. Essa escalada iniciou de forma tímida antes mesmo do registro do primeiro caso de covid-19 na cidade (em março de 2020) e se agravou – e muito – com a pandemia.

Em outras faixas do Cadastro Único (que contempla famílias com renda per capita de até meio salário mínimo ou renda mensal total de até três salários), o aumento também foi notado, passando de 32 mil famílias para um total de 47 mil famílias inscritas no programa – o que corresponde a quase 110 mil pessoas.

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Vacy Junior - H2FOZ

Vacy Alvaro é repórter e coordenador dos infográficos do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

-->