Queda de energia: Prefeitura de Santa Terezinha cobra solução da Copel

Munícipio elaborou um quadro de problemas e reclamações sobre o serviço referentes ao ano passado - Foto: Divulgação/Prefeitura

Moradores reclamam de constante interrupção; companhia afirma que construirá 1,6 mil quilômetros de novas redes na região.

A Prefeitura de Santa Terezinha de Itaipu e a Companhia Paranaense de Energia Elétrica estão em tratativas a fim de efetivar soluções para constantes quedas de energia elétrica que ocorrem na cidade. Uma das reuniões sobre o tema foi em Curitiba, entre a prefeita Karla Galende e a direção da empresa.

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

No encontro, integrantes da administração relataram problemas causados devido à interrupção do fornecimento de eletricidade, solicitando uma resolução definitiva para o problema – que, segundo a prefeitura, é recorrente. Quedas de energia causam transtornos e prejuízos a moradores e a empresas.

“Não é a primeira vez que estamos indo até a Copel para alinhar tratativas de interesse do município”, disse a prefeita Karla Galende. “Percebemos que essa é uma situação que acontece em outros municípios e quão importante é essa troca de informações entre os órgãos competentes”, completou.

Em Curitiba, reunião entre representantes da prefeitura e da Copel – Foto: Divulgação

A prefeitura solicitou à direção da companhia a instalação de um alimentador para dar suporte maior ao município. Também foi apresentado um quadro de situações e reclamações da população quanto ao serviço, referente ao ano passado. Segundo a gestão, foi pré-agendada a visita de representantes da Copel ao município.

Essa agenda será para “nos reunirmos com as lideranças municipais e fazermos esse mapeamento que busca soluções para o problema da queda de energia”, realçou a prefeita. “Por isso, peço a compreensão da população”, completou dirigindo-se aos moradores do município que cobram melhorias no serviço prestado pela Copel.

Conforme a assessoria da gestão municipal, na reunião os dirigentes da empresa demonstraram a intenção de sanar o problema o mais brevemente possível, expondo os investimentos que estão previstos até 2025. São recursos do Paraná Trifásico, orçados R$ 153 milhões para construir 1,6 mil quilômetros de novas redes na região.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Paulo Bogler - H2FOZ

Paulo Bogler é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.