Sindicato dos Rodoviários confirma greve do transporte coletivo. Paralisação começa na terça

H2FOZ – Paulo Bogler 

Os ônibus do transporte público de Foz do Iguaçu deverão parar de circular na próxima terça-feira, 8, a partir das 8h. É quando terá início a greve de motoristas e cobradores confirmada ao H2FOZ pelo Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários (Sitrofi). A concentração será no Terminal de Transporte Urbano (TTU).

De acordo com o presidente da entidade, Rodrigo Andrade de Souza, não houve acordo entre a categoria e as empresas do Consórcio Sorriso que operam no setor. A paralisação foi aprovada em assembleia realizada no mês de agosto. Segundo ele, o sindicato aguardou até a noite dessa sexta-feira, 4, o avanço nas negociações. 

A pauta dos rodoviários abrange:

– renovação do acordo coletivo de trabalho (ACT) para o biênio 2020/2021;

– recebimento de parte dos salários atrasados, referentes aos meses de junho, julho e agosto;

– recebimento de tíquetes-alimentação pendentes, relativos ao período entre maio e agosto;

– recebimento de parte das férias de abril em atraso; e

– recontratação de trabalhadores demitidos durante a pandemia de covid-19, principalmente cobradores. 

À reportagem, o dirigente do Sitrofi informou que, devido ao vencimento do acordo coletivo, no último dia 31 de maio, duas das três concessionárias do transporte coletivo iguaçuense deixaram de pagar o tíquete-alimentação. A terceira empresa repassa 30% do valor.

O presidente do Sitrofi, Rodrigo Andrade de Souza, confirmou o início da greve – foto Marcos Labanca/Arquivo

“A greve é por salários, tíquete-alimentação e férias atrasados. Também queremos recontratações dos trabalhadores demitidos, em especial dos cobradores”, relatou Rodrigo Andrade de Souza. “E ainda está pendente a renovação do acordo coletivo de trabalho para os anos de 2020 e 2021”, completou. 

De acordo com o presidente do sindicato, duas empresas pagaram 20% da multa rescisória à qual têm direito os trabalhadores demitidos. A outra permissionária do serviço público de transporte quitou 40% dos valores correspondentes aos rodoviários dispensados.

Atualmente, motoristas de ônibus do transporte coletivo em Foz do Iguaçu recebem R$ 2.682, acrescidos de R$ 506 de tíquete-alimentação. Cobradores ganham R$ 1.609 e o adicional de R$ 389 para a alimentação. 

O sindicato estima em 300 o número de rodoviários iguaçuenses demitidos durante a pandemia de covid-19. Desde março, a frota de ônibus, de 135 veículos, opera de forma reduzida. O Consórcio Sorriso afirma não comentar questões administrativas, como admissões e demissões. 

Nas linhas 

Em 24 de agosto, decreto da Prefeitura de Foz do Iguaçu instituiu a volta do horário de circulação no período das 5h à meia-noite e meia. Antes, em 12 de agosto, entrou em vigor o Decreto nº 28.404, prevendo a retomada da frota integral de ônibus.

Nessa quinta-feira, 3, a Agência Municipal de Notícias comunicou a inserção de “9 ônibus na atual frota operante do sistema”, reduzida em razão da pandemia. A prefeitura informou ainda o aumento da cobertura do serviço no horário noturno e o retorno de ônibus para as regiões do Lote Grande e Aparecidinha, que estavam sem transporte público.

O Consórcio Sorriso alega que houve diminuição no número de passageiros no transporte público de Foz do Iguaçu, por causa das medidas de contenção ao novo coronavírus. Como efeito, as empresas enfrentariam dificuldades financeiras.

Comunicado de greve publicado em jornal – foto Reprodução

 

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.