Foz do Iguaçu recebe feira para trocas em que só dinheiro é proibido

Espaço é aberto e gratuito para quem quer trocar qualquer objeto, como roupas, livros e eletrônicos; programação inclui oficinas e arte; assista à entrevista.

Apoie! Siga-nos no Google News

Com o objetivo de promover a economia solidária, o consumo consciente e a sustentabilidade, em que o dinheiro é a única proibição, a Feira Livre de Trocas da Tríplice Fronteira acontecerá, no dia 24 de março, em Foz do Iguaçu. Será na Casa Florir, na Vila Yolanda, a partir das 15h.

Nesta oitava edição, a feira contará com oficinas e apresentações artísticas. Tudo gratuito. Os realizadores culturais Luiz Chitolina e Alisson Ferreira, que integram a organização, foram entrevistados no programa Marco Zero, do H2FOZ e Rádio Clube FM 100,9.

Assista à entrevista:

O espaço é aberto e sem custo para qualquer pessoa trocar seus objetos, explicaram, e não é preciso fazer inscrição ou reserva prévia. A única recomendação é que os interessados levem o suporte para exposição, como arara, canga, toalha, caixote, tapete e outros.

Roupas, calçados, discos, livros, móveis, eletrônicos, enfim, tudo é possível trocar, prática baseada no conceito de sustentabilidade. Menos consumo, mais tempo de uso dos objetos significa menor impacto na natureza, além da substituição da relação comercial pela solidária.

A ideia reforça “não a competição e o lucro, mas sim a colaboração e a reflexão sobre o valor, a utilidade do que temos e a acumulação”, frisou Alisson. Na feira, “o valor das coisas é mensurado a partir do que cada um entende como valor de uso daquele objeto”, completou.

Roupas, livros, eletrônicos: tudo é permitido trocar – foto: Arquivo/Feira Livre de Trocas


A Feira Livre de Trocas da Tríplice Fronteira é como um freio à frivolidade do consumo. E um espaço de trocas humanas, mencionou Luiz Chitolina. É um convite para as pessoas de todas as idades compartilharem o domingo à tarde.

“É aberta para toda a comunidade, e a gente fecha a rua para receber as pessoas”, explicou na entrevista. “E as trocas se dão de forma orgânica, bem espontânea, o que contribui para a integração das pessoas, da comunidade do bairro e da cidade como um todo”, expôs Luiz.

Arte, espaço kids e oficinas

A 8.ª Feira Livre de Trocas da Tríplice Fronteira terá discotecagem e coco, oficina de compostagem, roda de conversa sobre permacultura e oficina de circo para crianças e adultos. O evento contará, ainda, com gastronomia e espaço kids.

Solidariedade

Durante a feira, serão recolhidas doações, principalmente de roupas e calçados, que serão destinadas à Fundação Nosso Lar. A entidade social atende crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social em Foz do Iguaçu.

Fundo público de cultura

Pela primeira vez, a feira terá recursos do Fundo Municipal de Incentivo Cultural, instrumento de apoio a realizadores culturais previsto em lei. O projeto foi aprovado por meio de edital de seleção para a produção e a difusão de iniciativas artístico-culturais.

Programação:

15h – DJ Mano Zeu.
16h30 – Apresentação + oficina circense para crianças e adultos com Jordana Mariel Guimaraens Produções (atividade simultânea com outras).
17h30 – Roda de conversa sobre permacultura – facilitação de Alan Frederico Mortean.
18h30 – Oficina de compostagem com construção de composteira em baldes.
19h30 – Apresentação musical com o Grupo Pisêres de Embaúba.
20h30 – Encerramento.

8.ª Feira Livre de Trocas da Tríplice Fronteira
Data: 24 de março (domingo), das 15h às 20h30
Endereço: Casa Florir (Rua Romário Vidal, 816, Vila Yolanda)
Evento gratuito e de classificação livre

LEIA TAMBÉM

Comentários estão fechados.