Bombeiros do Paraguai fazem “dança da chuva”. Veja o vídeo

Na volta depois de trabalhar num incêndio gigantesco, a chuva. E a comemoração. Foto: captura de vídeo

Até poucas horas antes, eles lidaram incansavelmente contra um fogo implacável, que ameaçava arrasar uma cidade.

“Como nunca, antes, a chegada da esperada chuva foi celebrada com tanta emoção e júbilo”, noticia o jornal La Nación.

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

A chuva alegrou toda a população paraguaia, castigada por uma onda de calor e de seca. Mas em especial os bombeiros voluntários, que finalmente tiveram um pouco de sossego.

Em Carapeguá, município do departamento de Paraguarí a 90 km de Assunção, os bombeiros voluntários não se contiveram, noticia o jornal, e comemoraram debaixo da chuva com gritos de alegria e até uma dança, na noite de quinta-feira, 3.

E com razão, diz o La Nación. Poucas horas antes, eles lutavam incansavelmente contra um incêndio de campo implacável, que ameaçava arrasar a área urbana de Quiindy, município de 16 mil habitantes a uma hora de Carapeguá.

O vídeo da “dança da chuva” dos bombeiros voluntários viralizou nas redes sociais, emocionando milhares de internautas.

O período de chuvas abaixo da média castiga o Paraguai há dois anos, mesmo tempo que também traz os mais diversos problemas para o vizinho Estado do Paraná.

A chuva, que caiu também na sexta-feira e no sábado, ajudou a regar os campos açoitados pelos incêndios florestais, que estavam levando a uma crise no meio ambiente poucas vezes vivida no país vizinho.

Em entrevista ao La Nación, o capitão Juan Valentín García Miró contou que sua equipe estava voltando de Quiindy, para onde tinham ido ajudar a sufocar um incêndio de grande magnitude, quando caiu uma grande chuva na chegada a Carapeguá.

“Foi um momento de muita emoção, porque levamos muitas horas trabalhando e estávamos muito extenuados. Mas essa chuva nos recarregou a energia”, disse.

O presidente do Corpo de Bombeiros Voluntários de Carapeguá, García Miró, contou que, somente em janeiro, houve cerca de 60 saídas para atender a incêndios, mais de dois por dia.

INCÊNDIOS CRIMINOSOS

Em apenas um mês, foram queimados mais de 100 mil hectares no departamento de Paraguarí. E o pior, segundo os bombeiros voluntários, é que 99% dos incêndios são provocados.

“É preciso erradicar esta prática criminosa. Mas, para isso, as instituições têm que funcionar e castigar os que queimam campos inteiros para renovação do pasto ou para eliminar lixo. Há muito vento nesta época, além da seca, e tudo isso faz com que o fogo se expanda como rastilho de pólvora”, disse García Miró.

Há locais, como Paraguarí, que sofrem mais por falta de atenção do governo. “Aqui, todo um departamento se queimou e ninguém veio. Mas se se queima o Ñu Guasu ou a baía de Assunção, até helicóptero põem (em ação)”, criticou.

Pra dar ideia do que representou janeiro para a ação dos bombeiros, o presidente da corporação contou que, somente no mês passado, consumiu-se mais combustível (para os deslocamentos) do que num período de seis meses.

O vídeo, publicado na edição on line do jornal La Nación, foi feito à noite e debaixo de chuva, portanto não há muita nitidez. Mas fica bem evidente a alegria e a emoção dos bombeiros voluntários.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.