Casal de onças-pintadas volta a frequentar recinto no Refúgio Biológico de Itaipu

O reencontro aconteceu na manhã desta sexta-feira (20), após quase três anos de separação. Foto: Stephanie Nicolli /Itaipu Binacional.
Siga a gente no

Reencontro foi na manhã desta sexta-feira (20), após quase três anos separadas. Recém-reformado, espaço está aberto para visitação dos turistas.

O recinto das onças-pintadas no Refúgio Biológico Vela Vista (RBV), que passou por uma grande reforma nos últimos meses, voltou a receber o casal Nena e Valente. O reencontro aconteceu na manhã desta sexta-feira (20), após quase três anos de separação. Agora, os turistas que visitarem o RBV poderão apreciar as duas onças no mesmo local.

Nena e Valente não conviviam juntas desde junho de 2019, quando nasceram Poty e Pytu e o macho teve que ser separado da mãe e dos filhotes. Depois disso, os profissionais da área aproveitaram para fazer uma grande reforma no recinto das onças-pintadas para melhorar a segurança de manejo e aperfeiçoar a ambientação do espaço.

O reencontro aconteceu na manhã desta sexta-feira (20), após quase três anos de separação. Foto: Stephanie Nicolli /Itaipu Binacional.

Segundo o médico-veterinário Pedro Teles, da Divisão de Áreas Protegidas da Itaipu Binacional, além de ser mais um atrativo para os turistas, o reencontro significa um importante passo no Programa de Reprodução das Onças-Pintadas da Itaipu, que já fez nascer três onças, todas filhas do casal.

Mais um atrativo para os turistas. Foto: Stephanie Nicolli /Itaipu Binacional.

“Eles são muito importantes para reproduzir porque carregam a genética da Mata Atlântica e é importante carregar essa genética para a frente”, afirmou Pedro. De acordo com ele, atualmente, existem cerca de 350 onças-pintadas em áreas de Mata Atlântica. O objetivo do Programa é fazer um banco genético vivo que permita, no futuro e com o apoio de outras instituições, reintroduzir a espécie na natureza.

Na Itaipu, já foram duas reproduções bem sucedidas. Além de Poty (fêmea) e Pytu (macho), nascidas em 1º e 2 de junho de 2019, também nasceu no espaço a onça-pintada Cacau, em dezembro de 2016, após 14 anos de tentativas. Cacau também é filha de Valente e Nena.

Pedro Teles, médico-veterinário da Divisão de Áreas Protegidas da Itaipu Binacional. Foto: Stephanie Nicolli /Itaipu Binacional.

Reencontro

Valente já estava no recinto, descansado sobre a pedra, quando o portão foi aberto para entrada de Nena. Elas não demoraram muito para logo se reconhecer e trocar afagos. “Os felinos têm uma memória afetiva muito grande, mesmos depois de tanto tempo separadas, as onças logo se reconheceram, fizeram carinhos”, comentou Pedro Teles.

Os animais vão aproveitar o novo recinto, que ganhou troncos para serem escalados, nova vegetação, um deck, um tronco próximo do lago e pintura nova. O objetivo é melhorar ainda mais o condicionamento e o bem-estar das onças. Também foram reformadas áreas como a maternidade, o cambiamento (onde é feita a “troca” de animais de um recinto para outro) e outros espaços utilizados para atendimentos aos animais.

Os animais vão aproveitar o novo recinto. Foto: Stephanie Nicolli /Itaipu Binacional.

Sobre o Refúgio Biológico

O Refúgio Biológico Bela Vista está inserido em uma área de 1.780,9 hectares, na margem brasileira de Itaipu. O espaço reúne hoje uma grande diversidade de espécies da flora e da fauna regional, muitas delas ameaçadas de extinção, e tornou-se um posto avançado da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica (título concedido pela Unesco) por reunir pesquisa, conservação e educação.

(Fonte: Itaipu Binacional)

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Assessoria

Este texto é de responsabilidade de assessoria da imprensa institucional e/ou empresarial. Veja mais conteúdo do autor.

-->