Família de três onças passeia pela mata do Parque Nacional do Iguaçu; assista

Registros em Serranópolis são do Projeto Onças do Iguaçu - Foto: Reprodução

Mamãe Janaína, “protetora do lar”, aparece nas imagens com os dois filhotes, que têm 1 ano meio; primeiros registros foram aos 5 meses de vida.

Em julho de 2021, o Projeto Onças do Iguaçu registrou dois novos filhotes de onça-pintada da mamãe Janaína, quando tinham 5 meses de vida. A família de felinos foi novamente fotografada, agora toda reunida, e as oncinhas têm 1 ano e meio.

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

Leia também: Quintal de casa. Onças do Iguaçu lança livro sobre a fauna do Parque Nacional do Iguaçu

As imagens fazem parte do trabalho de conservação da espécie do Projeto Onças do Iguaçu. Segundo os pesquisadores, ainda não foi possível identificar o sexo dos filhotes de Janaína, que entre os significados na língua tupi é “protetora do lar”.

“As onças foram registradas na Trilha da Onça, em Serranópolis do Iguaçu, trilha monitorada pelo projeto”, expõe a equipe do Onças do Iguaçu. Na ocasião, teve a ajuda de Mauri e Kátia Zardim, que participam do programa de Ciência Cidadã, mantido pelo projeto.

Vídeo produzido pelo Projeto Onças do Iguaçu mostra a mamãe e seus filhotes.


“Depois disso, foram feitos alguns registros da Janaína com apenas um dos filhotes, e não tínhamos certeza se o outro tinha sobrevivido”, detalha o informe. “No início de abril tivemos uma surpresa maravilhosa: um registro da Janaína com os dois filhotes”, comemora o Projeto Onças do Iguaçu.

Segundo os técnicos, filhotes de onça-pintada ficam com a mãe até terem perto de 2 anos de idade, depois dispersam em busca do próprio território. Os registros da família desses felinos no Parque Nacional do Iguaçu são “sinal de esperança para a conservação da espécie na região”, destaca o Projeto Onças do Iguaçu.

Na trilha, em segurança

Os pesquisadores enfatizam que a Trilha da Onça, em Serranópolis, fica no meio da mata, ou seja, o habitat de muitos animais. “Respeitando os limites e tomando cuidado, a experiência na trilha pode ser muito linda e segura, tanto para pessoas quanto para animais”, sublinham.

O projeto enfatiza que a equipe já visitou as propriedades na região para avaliar se existe alguma vulnerabilidade e instalar equipamentos que previnam a predação de animais domésticos por onças. Em caso de dúvidas, a orientação é entrar em contato com os profissionais do Onças do Iguaçu.

As onças tendem a se afastar de pessoas, especialmente quando escutam barulhos na mata. Assim, o Projeto Onças do Iguaçu apresenta as seguintes recomendações para se fazer trilha em segurança:

  • se estiver em grupo, fiquem juntos;
  • se estiver com crianças, mantenha-as perto dos adultos, não deixe que saiam correndo sozinhas pela trilha;
  • não é recomendável fazer caminhada noturna na trilha;
  • em caso de encontro com uma onça, não corra, não se agache e nunca se aproxime para tirar fotos; grite, bata palmas, faça barulho e afaste-se lentamente, sem dar as costas para o animal.

Iniciativa

O Onças do Iguaçu é um projeto institucional do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), desenvolvido em parceria pelo Parque Nacional do Iguaçu e o Instituto Pró-Carnívoros. O objetivo é a conservação da onça-pintada como uma espécie-chave para a manutenção da biodiversidade na unidade de conservação. No lado argentino do parque, a ação é do projeto Yaguareté.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Paulo Bogler - H2FOZ

Paulo Bogler é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.