Itaipu anuncia pacote de investimentos para a COP30

Destinação de recursos para a melhoria da infraestrutura de Belém, capital do Pará, poderá chegar a R$ 1,3 bilhão.

Apoie! Siga-nos no Google News

Foram assinados em Brasília, na manhã desta segunda-feira (6), três convênios entre Itaipu Binacional e órgãos do estado do Pará, para a destinação de recursos que serão aplicados em obras de infraestrutura na cidade de Belém.

Leia também:
Itaipu envia ajuda a atingidos pelas cheias no Rio Grande do Sul

O objetivo é preparar a capital paraense para a 30.ª Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP30), marcada para 2025. O total investido, segundo Itaipu, poderá chegar a R$ 1,3 bilhão.

A cerimônia de assinatura ocorreu no Palácio do Planalto, com a presença do diretor-geral brasileiro de Itaipu, Enio Verri; do governador do Pará, Helder Barbalho; do prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues; e de ministros como Alexandre Silveira (Minas e Energia), Jader Filho (Cidades) e Marina Silva (Meio Ambiente).

Parque e saneamento

O primeiro convênio, firmado com a Secretaria de Estado de Obras Públicas do Pará, em valor próximo a R$ 1 bilhão, prevê o aprimoramento de infraestrutura viária e a implantação do Parque Linear Doca, na Avenida Visconde de Souza Franco.

O projeto inclui a execução de 50 quilômetros de rede coletora de esgoto, 4,8 mil ligações de esgoto, pavimentação de vias de acesso à COP30, implantação de vias marginais do Canal Água Cristal e equipamentos de controle de tráfego, entre outras ações.

Complexo Ver-o-Peso

O segundo acordo, no valor de R$ 323,5 milhões, foi firmado com a Prefeitura de Belém, para a implementação do Parque Urbano Igarapé São Joaquim, com projetos de arquitetura, paisagismo, rede de esgoto, abastecimento, iluminação, pavimentação e sinalização.

O documento também contempla a revitalização do Complexo Ver-o-Peso, símbolo da capital paraense, que abriga um dos mercados mais antigos do Brasil, e a restauração do Mercado Municipal de São Brás, construção histórica localizada no centro da cidade.

Educação e pesquisa

Já o terceiro convênio, de R$ 41,8 milhões, inclui Itaipu, Parque Tecnológico Itaipu (PTI), Prefeitura de Belém e Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp), para desenvolver metodologia direcionada à gestão de resíduos sólidos e ações de educação ambiental e de inovação em biotecnologia.

Legado ambiental

Segundo o diretor Enio Verri, o investimento “representa não apenas um compromisso da Itaipu Binacional, mas também um legado que a empresa e o governo do presidente Lula deixarão para Belém e para o Brasil como um todo”.

O repasse dos recursos, de acordo com Itaipu, será trimestral, para execução conforme o cronograma das obras. Algumas licitações – como para a implantação do Parque Linear Doca – já foram feitas, e a ordem de serviço será emitida ainda nesta semana. Em outras, o investimento de Itaipu contribuirá para a conclusão dos trabalhos.

“Os investimentos representam o maior aporte financeiro da Itaipu fora da área de abrangência da empresa, que compreende os 399 municípios do Paraná e 35 do Mato Grosso do Sul”, informa a hidrelétrica em material distribuído à imprensa.

(Com informações de Itaipu Binacional)

LEIA TAMBÉM

Comentários estão fechados.