Chuva a conta-gotas na quinta, 6. E nível dos rios continua em queda livre

Barcaças às margens do Rio Iguaçu, muito baixo para a navegação. Foto El Independiente Iguazú

A situação dos rios Paraná e Iguaçu fica cada vez mais crítica. Nesta terça-feira, 4, a vazão nas Cataratas do Iguaçu está em 381 metros cúbicos por segundo, um quarto da vazão em períodos normais.

No Rio Paraná, a cota na Ponte da Amizade está um pouco abaixo de 93 metros. É considerada normal, porque a preocupação dos técnicos da Hidrologia de Itaipu é com os períodos de enchentes, mas continua sendo “normal” aos 105 metros, ou 12 metros acima do nível atual.

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

Em Puerto Iguazú, já há barcaças encalhadas na margem do Rio Iguaçu, como mostra o portal El Independiente Iguazú. A captação de água por motobombas é paralisada quase todas as manhãs, quando a vazão baixa ainda mais, e volta a funcionar à noite. A maioria dos moradores está sendo abastecida com água do arrio Mboca-í, que não é suficiente para atender a todos.

Na imprensa argentina, é comum o erro de que a usina de Itaipu é responsável pela diminuição de volume das águas do Rio Iguaçu. Mas, mesmo que se queira responsabilizar as usinas instaladas ao longo do Rio Iguaçu, o que está provocando a situação atual é um motivo simples: falta de chuva.

Não chove regularmente na bacia do Rio Paraná desde o ano passado, mesma situação do Rio Iguaçu, onde só choveu mais em fevereiro deste ano. A estiagem prolongada ainda não tem data para acabar.

A captação com motobombas paralisa boa parte do dia. É pouca água. Foto El Independiente Iguazú

CHUVA NA QUINTA

Alguns serviços de meteorologia preveem chuva na região de Foz do Iguaçu, na quinta-feira, 6. É o caso do Inmet, do Simepar e do AccuWeather. Climatempo e CPTEC/Inpe não veem chuva nenhuma. Mas o Inmet ainda prognostica chuva isolada na sexta-feira, 7.

Seja como for, é pouca chuva. O Simepar chega a dizer a quantidade: 1,1 milímetro. Quase nada.

No que os serviços estão unânimes é em relação à umidde do ar: muito baixa. Com ou sem chuva, melhora na quinta-feira.

FRIOZINHO VOLTA

Há também outra unanimidade: a volta do friozinho. Vamos a elas, por serviço:

Simepar: na quinta-feira, mínima de 15 e máxima de 20 graus; na sexta-feira, mínima de 13 e máxima de 24 graus.

Climatempo: na quinta, mínima de 14 e máxima de 19 graus; na sexta, mínima de 9 (!!!) e máxima de 24 graus.

AccuWeather: na quinta, mínima de 13 e máxima de 19 graus; na sexta, repete-se 13 de mínima e máxima de 22 graus.

CPTEC/Inpe: mínimas e máximas mais altas que os demais serviços, na quinta: 18 e 24 graus; na sexta, queda pra 14 de mínima e 21 de máxima.

Inmet: na quinta, 14 e 21 graus; na sexta, 10 e 25 graus.

ROTINA DE OUTONO

A beleza das luzes e cores do outono, uma estação que também pode ser cruel. Foto Patrícia Iunovich

Portanto, com alguma diferença aqui e ali, o friozinho volta a Foz do Iguaçu. Mínimas devem continuar baixas até o sábado, quando há uma ligeira ascensão. Máximas também sobem.

Enfim, outono, em Foz, continua uma rotina. Frio de vez em quando, alguns dias de calorão, mas sempre a seca, que grudou em todo o Paraná e não deixa nem a gente respirar sossegado.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.