O passado de Mino Raiola, um dos maiores agentes do mundo

Foto: Calciopédia

Nascido em Nocera Inferiore, na Itália, em 1967, Carmine “Mino” Raiola é um dos agentes mais populares do futebol. Pavel Nedved, Zlatan Ibrahimovic, Paul Pogba, Marco Verratti, Gianluigi Donnarumma, Erling Haaland… São vários os nomes que fizeram e fazem parte do portfólio e têm seus direitos e interesses defendidos pelo superagente.

Não há dúvidas que o olhar de Mino é altamente treinado para reconhecer potenciais. Mas se você não possui o mesmo talento para escolher onde apostar, neste artigo encontrará as novas casas de apostas que vêm ganhando espaço no mercado. Uma coisa é certa, o futebol tem muito a oferecer.

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

De acordo com a revista holandesa Quote, que publica anualmente a lista das 500 maiores fortunas do país, Mino Raiola teve seus bens pessoais avaliados na casa dos 200 milhões de euros.

Logicamente, sua carreira começou nos Países Baixos, lugar que viveu com seus pais desde o primeiro ano de vida e também deu seus primeiros passos no mundo do futebol. Sua família, dona de um restaurante em Haarlem, recebia os dirigentes do time local uma vez por semana. Pouco a pouco, Raiola, que fazia de tudo um pouco trabalhando com os pais, se inseriu nas conversas do grupo ligado ao time e foi convidado pelo presidente Henk Hut a ser o encarregado em captar patrocinadores ao Haarlem FC.

Depois de passar por várias decepções e até se tornar diretor técnico num clube de infraestruturas e ambições limitadas para competir com os grandes da Holanda, Raiola não teve sucesso em transformar o ambiente que o rodeava. Mas foi através da posição que ocupou que conseguiu se inserir definitivamente no meio do futebol.

Em 1991, Raiola realizou sua primeira transferência. Ao lado de Rob Jansen, um dos principais agentes do futebol holandês na época, ele levou o lateral Arthur Numan do Haarlem até o FC Twente. O negócio foi uma espécie de marco na ocasião, já que boa parte dos atletas não eram representados por agentes e tinham apenas o respaldo do sindicato na redação do seu contrato.

Mino Raiola, que voltou à Itália, e Jansen firmaram uma parceria de sucesso, ao ponto de negociarem Dennis Bergkamp e Wim Jonk com a Internazionale de Milão. Seja como intérprete ou responsável pela logística, visitando uma cidade ou comprando um carro… Raiola era quem fazia tudo por seus jogadores.

Já com experiência, a ruptura com Jansen foi inevitável e Mino Raiola criou sua própria sociedade. Com sua inteligência e influência, ele aproveitou a amizade com o treinador Zdenek Zeman para trabalhar na negociação de Pavel Nedved, meia tcheco de grande história no futebol italiano. Foi assim que as portas se abriram definitivamente para Raiola se tornar um dos maiores agentes da história.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

NEGÓCIOS

Esta página faz parte da seção Negócios e não integra o conteúdo jornalístico do H2FOZ.