Dr. Aiex deixa legado memorável

Uma mente brilhante, uma alma inquieta, que marcou sua jornada em defesa do SUS e das políticas públicas.

Apoie! Siga-nos no Google News

O psiquiatra José Elias Aiex Neto, o Dr. Aiex, 71, faleceu nessa sexta, 12, em Foz do Iguaçu, cidade onde dedicou uma incansável luta em prol da saúde pública, leia-se SUS (Sistema Único de Saúde), e que lhe concedeu, em 2023, o título de Cidadão Honorário.  Formado em Medicina pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), empenhou praticamente meio século de sua vida à saúde da comunidade e nos campos cultural e político. Aiex morreu após uma longa batalha contra um câncer agressivo. Deixou um legado singular.

Com alma e espírito inquieto, nota-se pela trajetória dele, em diversas associações de classe, que acreditava que suas utopias por uma Foz e Brasil mais justos e humanos aconteceriam por meio da sociedade organizada. “A minha grande utopia é viver em um país melhor, em uma cidade melhor”, disse descrevendo sua atuação como cidadão ao ser homenageado em 2015.

Aiex ia além dos ambulatórios clínicos e compartilhava seu conhecimento à frente de diversas entidades, como a Academia de Cultura de Foz do Iguaçu, da qual foi membro fundador. Na pegada de escritor, lançou seis livros, entre eles “Vida em busca de discernimento”, “Psiquiatria sem alma” e “Barbárie consentida”.

Em entrevista concedida durante o programa Marco Zero, a respeito desse último livro, citou a acumulação de renda por um percentual mínimo da população e a precarização do trabalho, que acarretam patologias emocionais. “Diante deste quadro social, as pessoas têm síndrome de Burnout, estresse, depressão, dependência química, dependência de álcool, de medicamentos. Vai resolver você dar um antidepressivo ou calmante para um cidadão que não tem dinheiro para alimentar a família?”, questionou ao citar a perversidade do neoliberalismo.

Aiex escrevia artigos e cartas publicados na imprensa local, regional e nacional, como a Folha de São Paulo. Foi um dos fundadores e também presidiu o Centro de Direitos Humanos de Foz do Iguaçu, associação civil em que atuava até recentemente. Servidor público iguaçuense concursado, Dr. Aiex foi secretário municipal da Saúde e Antidrogas. Presidiu a Associação Médica do Paraná e de Cascavel, conselhos municipais de saúde, e criou o Conselho Antidrogas de Foz do Iguaçu, em 2005, atualmente denominado Conselho Municipal de Políticas sobre Drogas.

“Sete por cento das famílias brasileiras afligem com problema de alcoolismo, mas não há uma campanha contra alcoolismo”, exemplificou Aiex, em entrevista no Marco Zero, ao mencionar o lobby da indústria que lucra com o vício do cidadão.

Agente político

O psiquiatra soma, ainda, a intervenção no meio político de Foz do Iguaçu, tendo sido filiado a agremiações como PT, Psol, Rede e PDT, concorrendo a cargos eletivos. Contou em livro, em coautoria, sua experiência entre os coordenadores da “Frentona”, consórcio de 18 siglas que derrotou a “Família Silva” em 2004, tradicional grupo político local, o que levou à prefeitura Paulo Mac Donald Ghisi, com quem Aiex rompeu depois.

Concorrendo a prefeito em 2012 contra Chico Brasileiro, que na época era do PCdoB e representava a continuidade, Dr. Aiex protagonizou momentos emblemáticos durante os debates na televisão. O médico antagonizou com Brasileiro principalmente em temas relacionados ao funcionamento e à qualidade da saúde pública em Foz do Iguaçu, elencando os reais problemas enfrentados pelos usuários.

Depoimentos de colegas de sala de Aiex, em fevereiro de 2023, quando foi condecorado com o título de Cidadão Honorário, evidenciam o modo como era admirado.

“Homenagem muito justa! Sou colega de turma do Dr. Aiex e posso atestar que ele sempre demonstrou um enorme interesse em ajudar a minorar o sofrimento do próximo, sempre ao lado dos mais humildes e defendendo o direito de atendimento à saúde com qualidade para todos! Me sinto muito honrado de ter um colega e amigo médico com todos estes prefixados!” Mário Sérgio Júlio Cerci

“Sou colega de turma de Dr. Aiex. Este médico foi e sempre será relembrado por suas atividades em prol do bem viver de todas as pessoas que dependendo dele como médico, em sua jornada, receberam sempre a atenção necessária. Se isto não bastasse, ultrapassa a medicina e marca em Foz do Iguaçu sua jornada com atitudes sempre em prol do bem viver das pessoas. Fico feliz pela lembrança da Câmara em lhe outorgar este título.” Cícero Pereira

“Conheço Dr. Aiex. É um ser humano ímpar. Sempre dedicado às causas humanitárias defendendo os direitos dos povos menos favorecidos. É uma honra ver que ele recebe tais méritos. Dr. Aiex, Deus lhe proteja sempre com muita saúde.” Rosilda Souza Da Rocha 

Aiex era casado com Jane Eliza Demarco Aiex e pai de dois filhos, Antônio Emílio e Isabele. O corpo do médico e escritor foi velado a partir das 13h na Capela 1 do Cemitério Municipal São João Batista, na região central de Foz do Iguaçu e depois levado para o crematório Perpétuo Socorro em Campo Largo, na região de Curitiba.

LEIA TAMBÉM