Foram 28.785 óbitos no ano passado por enfermidades respiratórias, ante 23.092 ocorridas em 2019 - Foto: Pixabay

Mortes por causas respiratórias tiveram aumento de 24% no ano passado

Mortes em domicílio dispararam, aumentando 14,1% no estado, mostra levantamento com base em registros dos cartórios. 

O número de mortes por doenças respiratórias no Paraná aumentou 24,6% em 2020. Foram 28.785 óbitos no ano passado, ante 23.092 ocorridas em 2019. Entre essas enfermidades está a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), que teve uma elevação vertiginosa de casos: 179%.

Os dados são do Portal da Transparência da Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen/Brasil). O levantamento também mostra que os óbitos registrados pelos cartórios do Paraná em 2020 totalizaram 77.908, o que é 4,1% a mais do que no ano anterior, batendo a média histórica de variação anual de mortes, que era de 1,6% ao ano até 2019.

“O número de óbitos registrados em 2020 pode aumentar ainda mais, assim como a variação da média anual, uma vez que os prazos para registros chegam a prever um intervalo de até 15 dias entre o falecimento e o lançamento do registro no Portal da Transparência”, informou o Instituto do Registro Civil das Pessoas Naturais do Estado do Paraná (Irpen/PR).

Os falecimentos por doenças cardíacas, muitas vezes relacionadas à covid-19, tiveram aumento de 1,6%, passando de 15.676 para 15.933, na comparação entre 2019 e 2020. Nesses casos, o registro com maior crescimento foi o de mortes por causas cardiovasculares inespecíficas, de 16,9%. O incremento de óbitos em casa é “uma das explicações para o diagnóstico inespecífico das mortes causadas por doenças do coração”, expôs o Irpen.

Mais mortes em casa

A quantidade de mortes em domicílio no Paraná aumentou 14,1% em 2020, na comparação com o ano anterior. Para o Irpen, esse crescimento deve-se principalmente ao medo das pessoas de irem a hospitais ou realizar tratamentos de rotina durante a pandemia, “assim como a falta de leitos em momentos críticos da covid-19 no Brasil”.

Os registros de óbitos com base em atestados médicos apontam que 440 paranaenses morreram de covid-19 em casa. Mortes por causas respiratórias fora de hospitais cresceram 15,7%, sendo que novamente a SRAG foi a que registrou a maior variação, 183%. Também se elevaram os óbitos por septicemia (12,3%) e causas indeterminadas (13,1%).

Os óbitos por causas cardíacas fora de hospitais também dispararam em 2020, com registro de aumento de 16,9% na comparação com 2019. “Neste tipo de doença, o maior aumento se deu nas chamadas Causas Cardiovasculares Inespecíficas (48,6%), muito em razão de a morte ocorrer sem assistência médica, dificultando a qualificação da doença”, frisou o Instituto do Registro Civil das Pessoas Naturais do Paraná.

O Irpen reúne os 525 Cartórios de Registro Civil do Paraná, distribuídos por todos os municípios e distritos. Essas unidades são responsáveis pelos principais atos da vida civil dos cidadãos, entre eles os registros de nascimento, casamento e óbito.

Paulo Bogler - H2FOZ

Paulo Bogler é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

Paulo Bogler - H2FOZ tem 1177 posts e contando. Ver todos os posts de Paulo Bogler - H2FOZ