Sindhotéis defende vacinação em massa para Foz do Iguaçu

Vacinação em massa para a população iguaçuense. Esse é o caminho para a saúde pública coletiva e retomada da economia, defendeu o presidente do Sindhotéis (Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Foz do Iguaçu e Região), Neuso Rafagnin, nesta quinta-feira, 3.

Foz do Iguaçu é a cidade do Paraná mais prejudicada pela pandemia de covid-19. O município amarga um prejuízo sem precedentes em sua história recente, com alto nível de desemprego e fechamento de empresas do turismo, principalmente da gastronomia, hospedagem e eventos.

Segundo o dirigente, outro motivo que pesa para um tratamento diferenciado à cidade é o fato de estar localizada numa das fronteiras mais movimentadas do Brasil, recebendo diariamente um grande número de estrangeiros. Isso sem falar da população regional.

O presidente do Sindhotéis cita o exemplo de Serrana (SP), onde a pandemia do novo coronavírus foi controlada e as mortes em decorrência da covid-19 reduziram drasticamente com 75% da população imunizada com duas doses da CoronaVac na população adulta, conforme a pesquisa final do Projeto S.

“A sociedade deve unir-se para cobrar das autoridades políticas nacionais e estaduais que o município tenha vacinação de imediato. Precisamos sensibilizar o presidente Jair Bolsonaro e o governador Carlos Massa Ratinho Junior para que tenham atenção necessária a Foz do Iguaçu”, afirma Neuso Rafagnin.

“Já ouvimos promessas de gestores do município e do estado de que até comprariam vacina. Mas de fato a vacinação segue lentamente”, enfatiza Neuso. “Precisamos de um grande envolvimento da população, das entidades representativas e do setor empresarial para avançarmos na imunização das pessoas e superar essa grave crise”, completa.

Em cinco meses, a Secretaria Municipal de Saúde aplicou 97.506 doses das vacinas contra a covid-19 até agora. Foram 70.737 de primeira dose e 26.769 de segunda – neste caso o equivalente a apenas 10% da população total iguaçuense, de 258 mil habitantes. O índice está na média estadual e nacional de cobertura pela segunda aplicação.

Turismo – O Sindhotéis chama atenção ainda para vacinação prioritária dos trabalhadores do turismo, incluindo todas as atividades da principal indústria do Destino Iguaçu (hotelaria, gastronomia, atrativos, guias, transportes, eventos, agências de viagem, entre outras categorias).

Conforme Neuso Rafagnin, são mais de 20 mil trabalhadores diretos e indiretos dentro do turismo, que estão diariamente em contato com outras pessoas. “A imunização em massa dos profissionais do turismo é uma garantia de preservação da saúde com aceleração da retomada econômica e retorno dos turistas”, ressalta o dirigente.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.