Câmara: aumento de imposto é incompetência de gestão

Vereador afirmou que “Foz do Iguaçu tem prefeito de RH”, ao criticar projeto que amplia multa de imposto municipal.

Apoie! Siga-nos no Google News


Por Paulo Bogler

O vereador Marcio Rosa usou a palavra livre, na tribuna da Câmara, nesta quinta-feira, 13, para questionar a gestão do prefeito Chico Brasileiro. Os dois são do mesmo partido, o PSD, porém, estão em lados opostos.

Em sua fala, o vereador foi contra o projeto do prefeito que amplia a aplicação de multa de 20% do Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI). Para Marcio Rosa, aumento de imposto é incompetência de gestão.

“O município está falido, sem capacidade de investimentos”, disse o edil, mencionando que o valor da folha de pagamento está no limite. “Falar de aumento de imposto é assumir a incompetência do governo”, declarou. Segundo Marcio Rosa, quando há elevação dos tributos, é sinal de que o administrador não conseguiu gerir bem, tendo de “meter a mão no bolso da população”.

“Prefeito de RH”

O vereador Admilson Galhardo (Republicanos) embarcou nas críticas. Para ele, “Foz do Iguaçu tem um prefeito de RH”, que não resolveria as questões principais da cidade, questionando a proposta de mudança na cobrança de imposto e inserindo na cobrança a condição de prédios públicos.

Sem votação

Contrários à proposta do prefeito Chico Brasileiro que altera o ITBI lotaram o plenário do Legislativo. Eram profissionais, empresários e representantes de entidades de vários setores, como o imobiliário e de construção civil. Pedido de vistas relacionado à matéria adiou a votação.

“Coibir a sonegação”

Em nota, a prefeitura afirma que o projeto visa a aplicar a multa nos casos em que o valor do imóvel for declarado abaixo do patamar do mercado. Os 20% recairiam “sobre a diferença do imposto devido”, como forma de “coibir a sonegação”.

LEIA TAMBÉM

Comentários estão fechados.