Prefeitura pagou diárias para 349 viagens ao custo de R$ 500 mil

Leia a opinião do portal sobre as diárias pagas pela Prefeitura de Foz do Iguaçu em 2023 e a viagem de comitiva para um encontro em Recife (PE).

Apoie! Siga-nos no Google News

Agentes públicos foram responsáveis por 349 viagens para representação da Prefeitura de Foz do Iguaçu em 2023 em outras localidades. Além do custo dos deslocamentos, essa logística gerou diárias, para pagar hospedagem e alimentação, reembolsadas pelo erário.

A administração pagou mais de meio milhão – R$ 505,9 mil – com esses reembolsos no ano passado. Foram 155 ocupantes de cargos e funções públicas municipais que realizaram 349 viagens, totalizando 976 diárias de R$ 124 a R$ 2 mil cada uma, arcadas pelos cofres públicos. 

Levantamento exclusivo do H2FOZ, com base em dados oficiais do Portal da Transparência, revelou aumento de 57% do gasto de Foz do Iguaçu com diárias em relação a 2022. A se comparar com 2021, o crescimento foi vertiginosamente maior: 165%.

Argumenta a gestão que o incremento dos valores se deve à retomada de ações governamentais no pós-pandemia. Em 2023 foi possível retomar “agendas necessárias para impulsionar o desenvolvimento” da cidade, manifestou-se.

Mas a conta não fecha. Nos 14 anos que o levantamento abrange, em valores da época, sem correção, período 2010–2023, os três recordes em pagamentos de diárias são da gestão de Chico Brasileiro: em 2018 (R$ 697 mil), 2019 (R$ 594 mil) e 2023 (R$ 505,9 mil).

Em 2010, primeiro ano da série histórica, esse custo foi de R$ 204 mil à prefeitura. Subiu a R$ 381 mil em 2015 e caiu para R$ 169 mil em 2016. Mesmo na restrição severa da pandemia, em 2020, o valor (R$ 143 mil) não foi o menor que já havia sido registrado: R$ 134 mil, em 2012.

Chamam atenção quatro viagens para o mesmo país, a China. Uma delas foi realizada pelo prefeito, que diz não ter produzido ônus financeiro ao município. E outras três por ocupante de cargo de diretoria, isto é, profissional abaixo do quadro do secretariado.

Pelo número de servidores envolvidos, não passa despercebida viagem de comitiva da assistência social para um encontro sobre gestão, em Recife (PE). Foram 17 pessoas da pasta. O custo dessas diárias foi de R$ 27.200, R$ 1.600 por pessoa, sem as passagens aéreas.

Registra-se que os painéis, oficinas e conferências estão disponíveis para baixar no site da organização do evento e que um ano antes ele aconteceu em Foz do Iguaçu.  Clique aqui para acessar.

A relação institucional do governo é elemento necessário e importante. Mas, por consumir dinheiro da coletividade, é direito de a população saber quem fez a viagem, o que foi fazer e com qual resultado retornou, com base em métricas e relatórios que permitam a avaliação. 

LEIA TAMBÉM
4 Comentários
  1. João Diz

    Petralha ficam fazendo essas viagens inúteis e a cidade abandonada esburacada as escolas abandonada as creches, uma vergonha esse prefeitinho incompetente e esses vereadores que não servem pra nada

  2. Orlandi Diz

    Seria um dinheiro para investir em uma campanha de trânsito para motoboy que ao meu ver parece que são donos do trânsito só eles estão na razão o hospital municipal lotado de motoboy acidentado quem paga por isso é aquele que precisa de uma cirurgia eletiva e nunca consegue??

  3. Orlandi Diz

    Saiu do seu bolso???

  4. Caro Diz

    Foz do Iguaçu se vende sozinho….tudo isso é uma farra com o dinheiro dos impostos. Todo deslocamento de servidor ou funcionário público, quando é pra tal finalidade, pode ser optado por vídeo conferência. O resto é desculpa.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.