Vacinas e manutenção dos cuidados formam a combinação para vencermos a pandemia

Os números absolutos de vacinas aplicadas não podem ser vistos isoladamente, fora do contexto geral da pandemia. - Foto: Christian Rizzi (AMN)

No pacote da vacinação contra a covid-19 em Foz do Iguaçu, estão incluídas a flexibilização das medidas de prevenção e uma grande dose de euforia.

Até sexta-feira, dia 9, a cidade aplicou 153 mil doses do imunizante que protege contra o novo coronavírus, que chegou ao braço dos iguaçuenses por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

Os números absolutos de vacinas aplicadas não podem ser vistos isoladamente, fora do contexto geral da pandemia.

Vejamos:

115.800 mil pessoas receberam a primeira dose da vacina; e

37 mil moradores de Foz do Iguaçu receberam a segunda aplicação ou a dose única.

Quer dizer que, neste momento, pouco mais de 14% da população de 258 mil habitantes está imunizada contra a covid-19.

Considerada apenas a faixa etária acima de 18 anos de idade, temos 18,8% de pessoas que completaram o ciclo vacinal.

Os indicadores atuais da pandemia em Foz do Iguaçu dão certo alívio, com redução na média móvel de mortes e de novos casos da doença.

Entretanto, a média móvel é de 57 pessoas infectadas pelo coronavírus diariamente. Mesmo com redução nos últimos dias, a taxa de ocupação da UTI do Hospital Municipal, que atende pelo SUS, é de 79%.

Somos uma cidade de fronteira, com circulação livre entre Brasil e Paraguai. Recebemos turistas. Temos o maior porto seco da América Latina em volume de cargas, o que significa grande circulação de caminhões pela área trinacional.

Outro dado

Apenas nesse sábado, o município começou a vacinar a faixa etária que acumula o maior número de infectados pelo novo coronavírus, que são as pessoas com idade entre 30 e 39 anos. Esse segmento totaliza 9,3 mil diagnósticos de covid-19. A vacinação está circunscrita a quem tem 39 anos.

É preciso observar também as investigações que o Ministério da Saúde e a Secretaria de Estado da Saúde estão fazendo sobre a variante delta do coronavírus. No Paraná, são sete casos distribuídos em quatro cidades. Essa cepa é a que devastou a Índia.

Todos queremos virar a página da pandemia, mas não é hora de queimar etapas e muito menos de descuidar das medidas de proteção.

Nestes tempos de incerteza, o que é sabido até agora é que vacinas, máscara, álcool em gel e distanciamento entre as pessoas são as medidas que podem tirar-nos dessa pandemia, que causa adoecimento e morte.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

H2FOZ – Editorial

Este texto expressa a opinião do H2FOZ a respeito do assunto. E-mail [email protected]Veja mais conteúdo do autor.