Os números absolutos de vacinas aplicadas não podem ser vistos isoladamente, fora do contexto geral da pandemia. - Foto: Christian Rizzi (AMN)

Vacinas e manutenção dos cuidados formam a combinação para vencermos a pandemia

No pacote da vacinação contra a covid-19 em Foz do Iguaçu, estão incluídas a flexibilização das medidas de prevenção e uma grande dose de euforia.

Até sexta-feira, dia 9, a cidade aplicou 153 mil doses do imunizante que protege contra o novo coronavírus, que chegou ao braço dos iguaçuenses por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

Os números absolutos de vacinas aplicadas não podem ser vistos isoladamente, fora do contexto geral da pandemia.

Vejamos:

115.800 mil pessoas receberam a primeira dose da vacina; e

37 mil moradores de Foz do Iguaçu receberam a segunda aplicação ou a dose única.

Quer dizer que, neste momento, pouco mais de 14% da população de 258 mil habitantes está imunizada contra a covid-19.

Considerada apenas a faixa etária acima de 18 anos de idade, temos 18,8% de pessoas que completaram o ciclo vacinal.

Os indicadores atuais da pandemia em Foz do Iguaçu dão certo alívio, com redução na média móvel de mortes e de novos casos da doença.

Entretanto, a média móvel é de 57 pessoas infectadas pelo coronavírus diariamente. Mesmo com redução nos últimos dias, a taxa de ocupação da UTI do Hospital Municipal, que atende pelo SUS, é de 79%.

Somos uma cidade de fronteira, com circulação livre entre Brasil e Paraguai. Recebemos turistas. Temos o maior porto seco da América Latina em volume de cargas, o que significa grande circulação de caminhões pela área trinacional.

Outro dado

Apenas nesse sábado, o município começou a vacinar a faixa etária que acumula o maior número de infectados pelo novo coronavírus, que são as pessoas com idade entre 30 e 39 anos. Esse segmento totaliza 9,3 mil diagnósticos de covid-19. A vacinação está circunscrita a quem tem 39 anos.

É preciso observar também as investigações que o Ministério da Saúde e a Secretaria de Estado da Saúde estão fazendo sobre a variante delta do coronavírus. No Paraná, são sete casos distribuídos em quatro cidades. Essa cepa é a que devastou a Índia.

Todos queremos virar a página da pandemia, mas não é hora de queimar etapas e muito menos de descuidar das medidas de proteção.

Nestes tempos de incerteza, o que é sabido até agora é que vacinas, máscara, álcool em gel e distanciamento entre as pessoas são as medidas que podem tirar-nos dessa pandemia, que causa adoecimento e morte.

H2FOZ – Editorial

Este texto expressa a opinião do H2FOZ a respeito do assunto. E-mail [email protected]Veja mais conteúdo do autor.

H2FOZ – Editorial tem 21 posts e contando. Ver todos os posts de H2FOZ – Editorial