Assaltantes que invadiram prédio em Ciudad del Este são ligados ao PCC, diz polícia do Paraguai

Brasileiros presos em Ciudad del Este. Imagem: Polícia Nacional do Paraguai

Dois brasileiros e um paraguaio foram presos após tiroteio na área central da capital do Alto Paraná.

A Polícia Nacional do Paraguai informou, na tarde de sexta-feira (27), que os três homens capturados após tentativa de assalto ao depósito de uma empresa no Edifício La Roca, no centro de Ciudad del Este, têm ligação com a facção criminosa brasileira Primeiro Comando da Capital (PCC), que atua nos dois lados da fronteira.

A ocorrência foi registrada no início da manhã, com os assaltantes rendendo um funcionário da empresa Business Center e invadindo o local para levar caixas com celulares de alto valor. O roubo deu errado porque seguranças foram avisados e acionaram as forças policiais, que cercaram o edifício.

O primeiro a ser preso foi um homem de nacionalidade paraguaia, Líder A.C.G., de 28 anos, que dirigia uma caminhonete que seria utilizada para a fuga. O veículo, que estava com placas paraguaias, tinha registro original na cidade gaúcha de Santa Maria.

Após troca de tiros e duas horas de cerco, os outros dois envolvidos, de nacionalidade brasileira, entregaram-se às autoridades, sendo identificados como Elvis A.O., de 29 anos, e Carlos D.P.L., 21. Conforme o delegado Ever Paris, chefe de Ordem e Segurança da Polícia Nacional, os brasileiros e o paraguaio possuem vínculos com o PCC.

De acordo com o jornal La Nación, a informação sobre a ligação com o grupo foi obtida por meio do Comando Tripartite, que integra as instituições policiais da fronteira. O relato original difundido pela imprensa paraguaia, de que haveria reféns no interior do edifício durante o cerco, foi desmentido pelo delegado.

Trabalhadores e moradores do entorno cobraram reforço nas medidas de segurança, para prevenir a ocorrência de novos crimes. A participação direta ou indireta de pessoas que tinham conhecimento sobre a existência da carga ou estavam familiarizadas com as rotinas de segurança do depósito será apurada pelo Ministério Público do Paraguai.

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Guilherme Wojciechowski - H2FOZ

Guilherme Wojciechowski é repórter colaborador do H2FOZ. E-mail: [email protected] - Veja mais mais conteúdo do autor.

-->