Comerciantes de Ciudad del Este pedem a ministro mais segurança aos turistas

Em visita a Ciudad del Este, na sexta-feira, 12, o ministro do Interior, Arnaldo Giuzzio, ouviu dos comerciantes o pedido de providências para evitar que mais turistas brasileiros sejam vítimas de violência e extorsão, inclusive por parte da própria polícia.

Uma das propostas que eles apresentaram foi a de instalação de câmaras de circuito fechado de alta definição em toda a área de comércio, segundo informou o jornal ABC Color.

O ministro disse que vai procurar reativar os conselhos de segurança, com participação da prefeitura, do governo de Alto Paraná e de comissões de moradores. “Falta nos organizarmos. Senhores, há muito por consertar, muito por fazer. Vamos coordenar, vamos começar a trabalhar”, disse Giuzzio.

IMPUNIDADE

Houve o caso recente de dois turistas brasileiros sequestrados por policiais, que exigiram dinheiro, mas acabaram detidos.

Mas teme-se que aconteça com esses policiais o que houve com outros que cometeram crimes semelhantes. O jornal ABC Color lembra que a Justiça paraguaia deixou impunes dois outros casos de extorsão contra turistas brasileiros.

Em decisão recente, oito policiais acusados de sequestrar o casal Joel Leal de Moraes Junior e Eveline Palenske Leal de Moraes, que estavam com dois filhos (11 e 7 anos), foram liberados sem qualquer penalidade.

O sequestro foi em 14 de agosto de 2018, no microcentro de Ciudad del Este. As vítimas foram obrigadas a pagar R$ 4.300 para obter a liberdade.

Também ficaram impunes os acusados do sequestro de Guilherme Costa Bueno, no dia 15 de agosto de 2018. Ele ficou detido na delegacia até pagar R$ 2.000.

MANEIRA BASTARDA

Para o ministro, conforme outra matéria do jornal Última Hora, a questão da corrupção policial “é algo cultural”, por isso ele considera ser necessário fazer mudanças para depurar a polícia, o que não se consegue de uma hora para outra.

“Historicamente, o ingresso (de policiais) nunca foi por méritos, foi mais pelo acompanhamento de algum político”, disse o ministro, “uma maneira bastarda de ingressar no corpo policial”.

Ele prometeu mudanças, nesse sentido. E considerou positivo que tenham aumentado as denúncias contra policiais que praticam extorsão. Há alguns dias, quatro agentes foram denunciados por um cidadão depois que foi detido por violar as disposições sanitárias. Eles exigiram dele dinheiro para ser liberado do processo.

Também saiu à luz o caso de um homem vítima de extorsão por agentes da Polícia Nacional. Giuzzio já advertiu que todos os casos comprovados de corrupção serão punidos.

Sobre Ciudad del Este, o ministro afirmou que o que quer é que seja “um centro internacional que se visualize como tal na região e no mundo, mas que seja uma cidade segura”, conforme o jornal La Clave.

Ele contou que manteve contato com o cônsul geral do Brasil, Américo Fontenelle, para tratar de questões sobre a segurança fronteiriça, e com a Federação de Câmaras de Comércio para falar sobre a segurança de turistas de compras.

Adiantou, ainda, a intenção de firmar um convênio de cooperação com a Receita Federal do Brasil, o que deve ser tratado no início de março, quando o ministro de Justiça e Segurança Pública, André Luiz Mendonça, visitar Assunção.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.