Donos de postos dizem que pode faltar combustível na Argentina

Segundo a associação de proprietários, reposição dos estoques está sendo insuficiente em áreas fronteiriças como a província de Misiones.

Apoie! Siga-nos no Google News

A Câmara de Postos de Combustíveis e Afins do Nordeste da Argentina (Cesane, na sigla em espanhol) fez, nessa segunda-feira (26), um novo alerta sobre a possibilidade de falta de combustíveis em locais como a província fronteiriça de Misiones. Segundo o presidente da entidade, Faruk Jalaf, a reposição dos estoques está sendo insuficiente.

Leia também:
Reajuste de junho: veja os novos preços dos combustíveis em Puerto Iguazú

“As empresas petrolíferas diminuíram a cota mensal de gasolina e diesel porque dizem que estão com problemas de importação”, afirmou Jalaf, em entrevista ao jornal Primera Edición. “O valor do combustível está defasado na Argentina, não há incentivo para importar. Se a empresa vai ficando sem estoque, o que ela faz é diminuir a entrega.”

De acordo com Jalaf, a defasagem atual chega a 40%, o que também diminui a lucratividade do setor, que já chegou a cogitar parar de aceitar cartões de crédito dos clientes, devido às taxas cobradas pelas operadoras e à necessidade de capital de giro.

Outro gerador de risco próximo de escassez, conforme o empresário, é o aumento da demanda por diesel, provocado pela safra de produtos como a erva-mate. Em algumas localidades do interior da província, a solução encontrada foi limitar a quantidade por cliente, de forma a não paralisar a cadeia de produção.

Preços

A província de Misiones tem, atualmente, o combustível mais caro da Argentina, com valores até 30% superiores aos da capital, Buenos Aires. Segundo Jalaf, a diferença na tabela das distribuidoras não pode ser explicada apenas pelo custo do transporte. “O frete dos combustíveis dá um custo extra de 5% ou 7%, não de 24% ou 25%”, frisou.

“Nas cidades de fronteira, ainda temos uma venda um pouco melhor [os combustíveis na Argentina são mais baratos que no Brasil e no Paraguai], mas no interior da província as vendas caíram. Tem motoristas que optam por abastecer o mínimo na província, só para poder sair, e depois enchem o tanque em outros locais da Argentina”, detalhou Jalaf.

Para conferir o preço dos combustíveis em Puerto Iguazú (postos YPF e Shell), em vigor desde o reajuste do mês de junho, clique aqui.

LEIA TAMBÉM
1 comentário
  1. […] Leia também:Donos de postos dizem que pode faltar combustível na Argentina […]

Comentários estão fechados.