É fake. Saúde do Paraguai desmente que haja pedido para fechar Ponte da Amizade

H2FOZ – Cláudio Dalla Benetta

O médico Hugo Kunzle, diretor da 10ª Região Sanitária do Paraguai, que abrange Alto Paraná (cuja capital é Ciudad del Este), garantiu que não foi feito nenhum pedido ao Ministério de Saúde Pública relativo a um novo fechamento da Ponte da Amizade, por um prazo de 15 dias.

Ele disse que recebeu o áudio que viralizou nas redes sociais, com esta “informação”, mas desconhece a origem. O áudio gerou temor entre comerciantes e trabalhadores do microcentro de Ciudad del Este, informa o jornal La Clave.

“Nos nos reunimos regularmente com o pessoal da Vigilância de Saúde do Ministério. No momento, está totalmente descartada a possibilidade de um novo fechamento de fronteira”, afirmou Kunzle.

Ele pediu que a comunidade fique atenta apenas ao que é divulgado nos canais oficiais de comunicação, e que não dê atenção a fake news da redes sociais, como foi este caso.

A gravação chegou a causar pânico na cidade, que está em pleno processo de recuperação, depois de ficar literalmente fechada por mais de sete meses, diz La Clave.

O diretor da 10ª Região Sanitária disse que acompanha de perto o desenvolvimento da pandemia em Foz do Iguaçu. “De fato, nos preocupa a situação de todo o Brasil, não só de Foz, que não é uma ilha. Em todo o país vizinho há um aumento de casos. Inclusive há medidas mais estritas em alguns estados, declarados zonas vermelhas, com fechamentos e diminuição do tráfego. É algo muito preocupante”, disse Kunzle.

Ele lembrou que, no mundo, existe um aumento de casos muito grande, como em países da Europa e nos Estados Unidos. “Então, este é o momento de pegar o touro pelos chifres, aderirmos de novo às medidas sanitárias e, com isto, segurar a enfermidade”, afirmou.

Hugo Kunzle: acredite nas informações oficiais, não em boatos das redes sociais. Foto de arquivo do Última Hora, feita por Wilson Ferreira

Hugo Kunzle confirmou um aumento de casos de 10% esta semana, em Alto Paraná. “Para lembrar, vínhamos deste setembro com uma redução de infectados de maneira sustentável, até a semana passada”. Mas observou que isso se verifica não só em Alto Paraná, mas em todo o Paraguai.

“Pensamos que é consequência de um relaxamento. Não podemos subestimar a doença, não podemos relaxar”, alertou.

“Vamos medindo (a contaminação) semanalmente. Epidemiologicamente, temos um panorama da situação de maneira semanal. Vamos ver como esta semana termina, se os números se mantêm em aumento ou não”, concluiu.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.