O preço dos aluguéis fez comerciantes desistirem da atividade. Foto La Clave

Efeito pandemia: ainda há 40% de salas comerciais vazias, em Ciudad del Este

“É uma situação catastrófica para os comerciantes. Estamos subsistindo por milagre”, desabafou um comerciante de Ciudad del Este ao jornal La Clave. Ele ainda consegue pagar o aluguel pelo espaço de sua loja, ao contrário de dezenas de outros que se viram obrigados a fechar.

O Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social de Ciudad del Este – Codeleste – calcula que pelo menos 40% das lojas que funcionavam em espaços alugados estão fechadas, porque não conseguem cobrir os custos de locação, que variam entre US$ 300 e US$ 2.500 (aproximadamente entre R$ 1.500 e R$ 13 mil).

Anivaldo Brítez, o comerciante que deu entrevista ao La Clave, disse que na galeria onde está sua loja a maioria das salas comerciais está fechada. “Os donos das salas não baixam os preços, lamentavelmente”, criticou.

Nas galerias do microcentro de Ciudad del Este há muitos cartazes de “alugo sala” ou “aluga-se”, constatou o jornal.

Embora haja proprietários que compreendem a situação e negociam os preços dos aluguéis, outros mantiveram o mesmo valor de antes da pandemia, o que representa hoje um custo muito alto, já que as lojas ficaram fechadas por sete meses.

O aluguel é fixado por mês, mas o pagamento, no Paraguai, é feito anualmente. “Você já entra pagando a totalidade do ano. Com a pandemia, a situação se tornou insustentável”, disse Anivaldo Brítez. “Não há como continuar pagando os aluguéis”, completou.

Em 2020, lembra La Clave, houve cerca de 45 mil demissões e quase 7 mil empresas fecharam as portas. A ajuda do governo, na forma de empréstimos, chegou apenas para 14% das micro, pequenas e médias empresas, segundo La Clave.

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ tem 908 posts e contando. Ver todos os posts de Claudio Dalla Benetta - H2FOZ