Após reajuste de 200%, entidade pede fim do pedágio na Argentina

Comitê de Defesa do Usuário das Rodovias argumenta que melhorias nas estradas poderiam ser bancadas com os impostos já existentes.

Apoie! Siga-nos no Google News

O reajuste de 200% na tarifa de pedágio em algumas das principais rodovias da Argentina, em vigor desde a madrugada de sexta-feira (26), está gerando reações em diversos segmentos da sociedade do país.

Leia também:
Pedágio terá reajuste de 200% a partir de sexta (26) na Argentina

Em entrevista ao portal Misiones Online, o coordenador do Comitê Nacional de Defesa do Usuários das Rodovias, Ricardo Lasca, disse que encaminhou, ao Poder Legislativo e à Presidência da República, propostas para acabar com a cobrança da tarifa.

No entender de Lasca, o dinheiro arrecadado com os impostos que incidem sobre os combustíveis, por exemplo, poderia bancar as reformas e melhoras necessárias nas rodovias, sem necessidade de cobrança direta aos usuários.

“As tarifas aumentam todos os anos, e o que é mais grave: é feita uma consulta à população só por escrito, não temos nem audiência pública, nem agência reguladora, nem marco regulatório. Não temos direito a nada, nem a dar opiniões”, reclamou.

“Temos uma proposta que é muito simples, mas falta vontade política, que é destinar os P$ 400 bilhões [cerca de R$ 2 bilhões] que foram retirados [para outras finalidades] do imposto sobre os combustíveis para obras de infraestrutura”, apontou Lasca.

O dirigente lamentou a falta de respostas das autoridades, atuais e anteriores. “Já pedimos audiências com as novas comissões no Congresso Nacional, mas não recebemos retorno. Pedimos audiência com o chefe de gabinete da presidência, mas não somos escutados”, disse.

“Peço ao presidente Javier Milei que tenha coragem, vontade e decisão política de eliminar os pedágios, porque são claramente inconstitucionais, por limitar o direito de ir e vir quando não há caminhos alternativos”, asseverou Lasca.

Nas estradas de acesso à fronteira, o reajuste de 200% foi aplicado nas duas praças de pedágio da Rodovia Nacional 12, principal ligação entre Puerto Iguazú e o restante do território argentino. Para conferir as tarifas atualizadas, clique aqui.

LEIA TAMBÉM
1 comentário
  1. Julio Diz

    O mais engraçado é pedir o fim do pedagio de 900 pesos por VEÍCULO, mas não acabar com o roubo de usuários QUE NÃO SÃO TORISTAS, antes da rotanda, no roubo institucional da municipalidad de Puerto Yguazu em 1000 pesos por pessoa, mil vezes pagar o pedagio e não ser extorquido, atualmente se paga um e é roubado no outro, mesmo sem visitar parque, aeroporto ou marco, apenas por CHEGAR na cidade e ser extrangeiro!

Comentários estão fechados.