Achado de explosivos em túnel interdita ruas e lojas no Paraguai

Cofre da Associação de Trabalhadores Cambistas (ATC) em Ciudad del Este foi esvaziado por ladrões no fim de semana.

Apoie! Siga-nos no Google News

Ruas e lojas de Ciudad del Este, nos arredores da sede da Associação de Trabalhadores Cambistas (ATC), estão interditadas, nesta terça-feira (6), devido ao achado de explosivos no túnel escavado por ladrões que esvaziaram o cofre da agremiação.

Leia também:
Polícia localiza ponta do túnel usado no roubo milionário no Paraguai
Ladrões esvaziam cofre da Associação de Cambistas no Paraguai

A interdição engloba trechos da Avenida Monseñor Rodríguez e das ruas Nanawa, Boquerón e Abay, até a esquina com a Avenida Adrián Jara. O trânsito na Rodovia Internacional PY02 também terá restrições até que as vistorias sejam concluídas.

Trecho com interdição total ou restrição ao tráfego. Imagem: Google Maps
Trecho com interdição total ou restrição ao tráfego. Imagem: Google Maps

Na manhã de segunda-feira (5), cambistas encontraram a porta da associação fechada, impedindo o acesso ao cofre onde os trabalhadores guardam o dinheiro usado para as operações de troca de moedas nos arredores da Ponte Internacional da Amizade.

Quando conseguiram entrar no local, constataram que 148 gavetas e armários do cofre subterrâneo tinham sido esvaziados por ladrões que fizeram um túnel, desarmaram a rede de sensores e abriram um buraco para passar pela parede.

Gavetas e armários usados pelos cambistas para guardar dinheiro foram arrombados pelos ladrões. Foto: Gentileza/Ministério Público do Paraguai
Gavetas e armários usados pelos cambistas para guardar dinheiro foram arrombados pelos ladrões. Foto: Gentileza/Ministério Público do Paraguai

Até o momento, a extensão do túnel ainda é desconhecida, com fontes como o jornal ABC Color mencionando mais de cem metros. A inspeção é lenta, tendo em vista o achado de explosivos e o risco de colapso da estrutura.

O valor subtraído também é incerto, com os jornais Última Hora e La Clave chegando a citar US$ 15 milhões (cerca de R$ 75 milhões), enquanto outros veículos de comunicação mencionam valores mais baixos, em torno de US$ 2 milhões (R$ 10 milhões).

Túnel escavado para invadir o cofre da Associação de Trabalhadores Cambistas. Foto: Gentileza/Ministério Público do Paraguai
Túnel escavado para invadir o cofre da Associação de Trabalhadores Cambistas. Foto: Gentileza/Ministério Público do Paraguai

A principal linha de investigação apura a possibilidade de que grupos criminosos do Brasil, como a organização Primeiro Comando da Capital (PCC), estejam envolvidos no crime. Agentes da Polícia Federal (PF) brasileira foram chamados para auxiliar no trabalho.

LEIA TAMBÉM