Manifestação contra o governo paraguaio fecha a Ponte da Amizade

Em foto de Wilson Ferreira, do jornal Última Hora, os manifestantes já perto da Ponte da Amizade.

As manifestações pela renúncia ou deposição do presidente Mario Abdo Benítez e vice-presidente Hugo Velázquez chegam a seu 12º dia, com intensidade menor, mas com muita gente nas ruas.

Em Ciudad del Este, noticia o Última Hora, manifestantes convocados pelas redes sociais iniciaram um protesto no microcentro, mas a seguir foram até a Ponte da Amizade e bloquearam a entrada e a saíde de veículos e pessoas, como conta o repórter Wilson Ferreira, do jornal Última Hora.

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

A grande queixa dos paraguaios é pela má gestão do governo, principalmente nas áreas de saúde e educação.

“Nós pedimos a renúncia dos dois (Abdo e Velázquez) e que o presidente do Congreso, Óscar Salomón, convoque novas eleições. O povo está cansado deste governo. Muita gente está morrendo por falta de medicamentos, as escolas estão caindo em pedaços, já estamos fartos e é isso que nos faz sair à rua”, disse Elvio Barúa, um dos manifestantes.

Há críticas ainda quanto ao aumento de salários no Senado, em plena pandemia, e à situação do transporte público.

Os protestos começaram no dia 5 de março, principalmente em Assunção. O governo atendeu alguns pedidos e trocou os ministros de Saúde, Educação e da Casa Civil, entre outras mudanças, mas não adiantou.

Em Ciudad del Este, os protestos eram até agora no km 10 da rodovia que liga a Assunção, com interrupções intermitentes no trânsito. Nesta quarta, a manifestação veio para o microcentro e para a Ponte da Amizade.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.