Novo terminal multimodal em Foz: empresa fará estudo econômico e ambiental

O Porto Seco em Foz do Iguaçu, o maior da América Latina em movimentação de cargas - Foto: Marcos Labanca/Arquivo

Consultoria especializada inclui um porto seco e terminal ferroviário de cargas, preparando a infraestrutura para a Ferroeste.

O Serviço Social Autônomo Paraná (Paraná Projetos) divulgou o resultado da concorrência para contratação de empresa que irá realizar Estudo de Viabilidade Técnico-Econômica e Ambiental (EVTEA) para o novo terminal multimodal em Foz do Iguaçu. O documento foi publicado na edição dessa sexta-feira, 20, do Diário Oficial da União (DOU).

O estudo técnico deverá incluir, nessa área, um porto seco – Estação Aduaneira do Interior (Eadi). A empresa também desenvolverá um EVTEA para adequação do terminal ferroviário de cargas, dentro da perspectiva de instituir ligação ferroviária de Cascavel (PR) a Foz do Iguaçu, ligando a fronteira ao tronco da malha de trilho da Ferroeste.

Conforme o resultado da concorrência publicado pelo Paraná Projetos, foi vencedora do certame a Egis – Engenharia e Consultoria, mediante valor global de R$ 2,3 milhões. O Consórcio Planave–Envex obteve a maior nota, mas foi declarada inabilidade; a representação do consórcio afirmou que entrará com recurso porque teria apresentado todos os documentos previstos.

Na análise da habilitação jurídica, a comissão de licitações disse que “deixou o Consórcio Planave–Envex de apresentar o Compromisso de Constituição do Consórcio”, exigência do edital. Segundo a ata do resultado do certamente, o grupo “não apresentou as demonstrações contábeis da empresa Planave S.A. Estudos e Projetos de Engenharia”.

Paraná Projetos é instituição jurídica de direito privado, sem fins lucrativos e de interesse coletivo. Foi criado por lei estadual em 1998, a fim de elaborar e gerenciar projetos para o desenvolvimento integrado do território paranaense. O órgão substitui o Ecoparaná.

O terminal multimodal em Foz do Iguaçu é estratégico para o segmento logístico na região trinacional e está inserido entre os projetos estruturantes que visam a constituir a fronteira como hub de logística no Cone Sul. Além de ampliar a capacidade do porto seco, que hoje já é o maior da América Latina, o novo terminal deverá fazer a conexão com os demais modais de transporte.

As previsões anunciadas em audiência pública da Receita Federal do Brasil estimam investimento acima de R$ 170 milhões no novo terminal de transporte e cargas em Foz do Iguaçu. O empreendimento deverá contribuir para ampliar a capacidade e melhorar o fluxo de caminhões que operam o comércio internacional.

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Paulo Bogler - H2FOZ

Paulo Bogler é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

-->