Paraguai terá “Lei Seca” e restrições eleitorais neste fim de semana

Proibição da venda de bebidas alcoólicas começará às 19h deste sábado (29), 12 horas antes do início da votação marcada para domingo (30).

Apoie! Siga-nos no Google News

Neste domingo (30), os eleitores do Paraguai irão às urnas para a escolha do presidente, vice-presidente, governadores, senadores, deputados nacionais e deputados regionais. Já desde este sábado (29), no entanto, moradores e turistas precisarão estar atentos às restrições previstas pela legislação eleitoral.

Leia também:
Acompanhe a apuração dos votos, em tempo real
Especial H2FOZ: Guia das Eleições 2023 no Paraguai

Partido Colorado vence a disputa presidencial no Paraguai
Perfil: Santiago Peña, presidente eleito do Paraguai

Das 19h de sábado em diante, por exemplo, estará em vigor em todo o país a “Lei Seca”, que proíbe a venda e o consumo público de bebidas alcoólicas até duas horas após o término do horário de votação, que será das 7h às 16h (hora paraguaia) de domingo.

As restrições incluem a proibição da aglomeração de pessoas ou da formação de grupos em um raio de até 200 metros dos locais de votação, criminalização da boca de urna e restrições ao porte de armas. Apresentações musicais e espetáculos públicos estarão liberados somente a partir das 18h de domingo, duas horas depois do encerramento do pleito.

Tal como no Brasil, estará proibido o uso de celulares, câmeras fotográficas ou qualquer outro dispositivo capaz de captar imagens na cabine de votação, para garantir o sigilo e evitar manobras de compra de votos.

Para sufragar, o eleitor precisará apresentar a cédula de identidade (vigente ou vencida). Uma vez concluído o voto, será obrigatório molhar a ponta do dedo indicador em um recipiente com tinta preta (que permanece na pele por 24 horas), como forma de “marcar” quem já participou e dificultar que uma mesma pessoa tente votar em nome de outra.

Lista de candidatos, conforme divulgação do TSJE
Lista de candidatos à presidência, conforme divulgação do Tribunal Superior de Justiça Eleitoral

Paraguaios residentes no exterior poderão escolher somente os candidatos a presidente e senador. No Brasil, o único local habilitado é a cidade de São Paulo, onde 540 eleitores poderão comparecer à Igreja Maria Auxiliadora para o exercício da cidadania, munidos de cédula de identidade paraguaia ou passaporte.

Para aumentar o comparecimento, o Tribunal Superior de Justiça Eleitoral (TSJE) anunciou que multará, em G$ 98 mil (cerca de R$ 68), os cidadãos que não justificarem a ausência nas urnas. Na eleição de 2018, que culminou com a vitória do colorado Mario Abdo Benítez (não há reeleição presidencial no Paraguai), a participação foi de apenas 61,4%.

Para saber mais sobre as eleições no Paraguai, em guia especial publicado pelo H2FOZ, clique aqui.

LEIA TAMBÉM

Comentários estão fechados.