Paraguai: vítima de erro policial morre após quase três meses na UTI

Moradora de Ciudad del Este foi baleada por policiais que procuravam um foragido; namorado faleceu no local.

Apoie! Siga-nos no Google News

Faleceu, na madrugada dessa terça-feira (7), após quase três meses internada na UTI de um hospital de Assunção, a paraguaia Gloria Yetsica Espínola Cáceres, de 30 anos, moradora de Ciudad del Este. Gloria foi baleada na noite de 19 de novembro de 2022, durante operação policial que resultou na morte do namorado, de 21 anos.

Leia também:
Homem recebe flagrante da polícia acusado de importunação sexual em Foz do Iguaçu

Na ocasião, Gloria e Alex Enrique Alejandro Ortiz estavam em um veículo que trafegava pelo km 12 Acaray, na capital do Alto Paraná, no momento em que policiais faziam varredura para a localização de um procurado da Justiça. Ao acelerar o automóvel, Alex foi confundido e baleado. Gloria também foi atingida, com pelo menos seis tiros.

Como resultado, a Polícia Nacional do Paraguai determinou a abertura de sindicância contra 11 agentes da corporação, sendo oito do Grupo Especial de Operações (GEO) e três do Departamento de Investigação de Delitos do Alto Paraná.

O caso gerou revolta na população do lado paraguaio da fronteira, com questionamentos à capacitação dos policiais que atuam na região. Já o homem que era procurado na noite do procedimento, identificado como Carlos Cabrera, continua foragido.

LEIA TAMBÉM

Comentários estão fechados.