PF e RF desarticulam esquema de importação irregular de cabelo com atuação na fronteira

Após venda do produto, pagamento a fornecedores estrangeiros era feito pela conversão do real em dólar geralmente no Paraguai.

Sete mandados de busca e apreensão são cumpridos em Foz do Iguaçu e Curitiba, no Paraná, e cidades de São Paulo, nesta terça-feira, 10, no âmbito da Operação Baalon. A ação conjunta da Polícia Federal (PF) e Receita Federal (RF) mira um grupo especializado na importação irregular de cabelos para revenda no Brasil.

De acordo com a polícia, parte dos investigados é de nacionalidade indiana. A investigação aponta que o grupo subfaturava o valor de importação do cabelo. Após as vendas, fornecedores estrangeiros eram pagos mediante a conversão do real em dólar, em geral, por remessa ao Paraguai.

Conforme a assessoria da PF em Foz do Iguaçu, às pessoas envolvidas são atribuídos eventuais delitos de “organização criminosa, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e operação irregular de instituição financeira”. Baalon, nome da operação, é uma das traduções da palavra cabelo para o idioma hindi.

Operação Baalon apreende dinheiro em espécie nos endereços investigados – Foto: Polícia Federal

Ainda segundo a investigação, para enviar o dinheiro em real para conversão em dólar, era usado um operador financeiro. Esse agente “disponibilizava o contravalor por meio de sistema internacional de compensação paralelo, sem registro nos órgãos oficiais, conhecido por dólar-cabo”, afirmou a Polícia Federal.

Já as mercadorias, quando não eram subfaturadas, eram irregularmente introduzidas em território brasileiro por meio da fronteira com o Paraguai. “Vale ressaltar que a introdução da mercadoria se dava pela supressão parcial ou total de tributos que incidiam na operação de importação – crime de descaminho”, reportou a PF.

(Com informações da assessoria da Polícia Federal em Foz do Iguaçu)

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.