Prefeitura de Ciudad del Este fecha loja onde turista brasileiro foi roubado

H2FOZ – Cláudio Dalla Benetta

A Prefeitura de Ciudad del Este fechou na sexta-feira (6), à tarde, a loja onde um turista brasileiro foi vítima de assalto. A “Xiaomi Samsung” funcionava no primeiro andar do Shopping Continental e está registrada em nome de uma advogada.

Quando os fiscais da Prefeitura chegaram, a loja estava vazia. Eles descobriram, em seguida, que o comércio sequer contava com autorização de funcionamento. Agora, o promotor Sergio Irán Villalba será responsável pela investigação para chegar aos responsáveis, informa o jornal ABC Color.

O portal CDE Hot noticia que, além do turista assaltado no interior desta loja, onde foi levado por falsos guias de turismo (ou de compras), outra brasileira foi enganada pelo dono da loja “4K”, localizada no Shopping Alfonzo.

A turista contou que comprou um notebook por R$ 2.996,18. Ela pediu para o total ser parcelado, o que foi aceito pelo proprietário, Reinaldo Duré Rojas. Mas o débito foi feito pelo valor integral. Além disso, ela contou que o equipamento não funcionava (a história é contada assim no CDE Hot; talvez falte algum detalhe).

No caso “Xiaomi Samsung”, o turista Aldair Sales da Silva, que mora em Manaus, foi levado por um falso guia até a loja, para comprar um celular.

Quando chegou, havia três homens no local. Junto com o guia, eles o despojaram de uma bolsa que continha R$ 1.500. Quando o liberaram, foi ameaçado de morte caso fizesse denúncia.

O subcomissário Heriberto Villalba, chefe da Polícia Turística, informou ao CDE Hot que há 24 agentes encarregados de evitar que turistas sejam vítimas de furtos ou roubos, mas a situação se complica quando os casos ocorrem dentro das lojas.

Esta loja pode ter sido aberta apenas para assaltar turistas. Foto La Clave

Guias não podem atuar no microcentro

O jornal La Clave noticiou que um decreto municipal de 2015 proíbe a atuação de guias de compras (ou guias de turismo) no microcentro de Ciudad del Este. Para atuar como guias, os interessados têm que estar inscritos no Registro Nacional de Turismo.

Rocío Maldonado, representante da Secretaria Nacional de Turismo em Ciudad del Este, contou que há 34 pessoas habilitadas como guias de turismo, no departamento de Alto Paraná, mas nenhuma delas trabalha na zona comercial.

Quem recebe turistas, em Foz do Iguaçu, deve procurar alertá-los sobre o risco que os tais “guias de turismo” falsos representam. Tanto, que em Ciudad del Este são chamados de “pirañitas”, um sinônimo para vagabundos ou coisa pior.

Quando os guias chegaram, não havia ninguém na loja, que sequer possui autorização de funcionamento.
error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.