Com 45% das obras concluídas, ponte avança cada vez mais rápido rumo ao Rio Paraná. Foto Itaipu Paraguai

Presidente paraguaio teme que obras da ponte acabem sem acesso a Presidente Franco: “que vergonha!”

H2FOZ – Cláudio Dalla Benetta

Em visita ao departamento de Alto Paraná, onde veio inaugurar obras, o presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, lamentou que o Congresso do país ainda não tenha aprovado o pedido de empréstimos para a execução das obras complementares da Ponte da Integração, em Presidente Franco, informa o jornal ABC Color.

Ele espera que o tema seja tratado no Congresso o quanto antes, para permitir que o Paraguai tenha acesso à segunda ponte sobre o Rio Paraná, financiada pela margem brasileira da Itaipu Binacional.

O presidente Mario Abdo Benítez veio a Alto Paraná cumprir uma agenda apertada de inaugurações de estradas e habitações. Foto Agência IP

“O que não quero é que termine a ponte e que o Paraguai não tenha feito sua parte. Imaginem a vergonha que vamos passar!”, exclamou para os participantes do evento de inauguração.

Abdo disse que não entende porque há rejeição ao crédito. “É preciso ser responsável com o endividamento, não há nenhum país no mundo que se tenha desenvolvido sem endividamento. Há que romper paradigmas tradicionais porque estavamos vivendo momentos extraordinários”, afirmou.

Para o presidente, não há motivo para rejeitar o pedido de empréstimo de um organismo multilateral. “Isto é para obras estratégicas”, disse. “Vejam toda a transformjação no Paraguai e em Alto Paraná (a construção) da Ponte da Amizade. E isso foi feito há 55 anos, tempo em que não construímos outras pontes.

O lado paraguaio da Ponte da Integração. Uma estrutura imponente que vai unir ainda mais os dois países. Foto Itaipu Paraguai

O empréstimo

O governo do Paraguai pediu ao Legislativo a aprovação de um pedido de empréstimo de US$ 212 milhões à Corporação Andina de Fomento, para as obras complementares. Os projetos preveem obras civis, gestão socioambiental e administração do projeto.

Entre as obras, uma estrada com pista dupla de 32 km, uma ponte de 500 metros sore o Rio Monday, bem como uma área de controle aduaneiro em Presidente Franco.

O Senado paraguaio aprovou o pedido de empréstimo, mas agora está empacada na Câmara de Deputados, onde a tramitação esbarra em muitas críticas quanto ao valor da administração do projeto, por exemplo.

A ponte

Enquanto o Congresso paraguaio não decide, as obras da Ponte da Integração avançam cada vez mais rápido, tanto na margem brasileira como na paraguaia.

Iniciadas há 14 meses, as obras já alcançam 45% de obras executadas e até 2022 estarão concluídas. A nova ponte será maior que a da Amizade, que fica a 10 km de distância.

Ela terá 760 metros de extensão, um vão livre de 470 metros sobre o Rio Paraná. Contará com duas pistas simples de 3,6 metros de largura e passagem para pedestres.

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ tem 908 posts e contando. Ver todos os posts de Claudio Dalla Benetta - H2FOZ