Protocolo pra reabrir Ponte da Amizade inclui código QR pra brasileiro ir a Ciudad del Este

H2FOZ – Cláudio Dalla Benetta

O decreto que reabre a Ponte da Amizade “parcial e temporariamente” não permite o acesso de brasileiros a Ciudad del Este, apenas faz parte dos protocolos para os voos entre Assunção e Montevidéu, no Uruguai (veja: “Muita gente se animou, mas decreto paraguaio abre fronteiras só para voos ao Uruguai”.

Mas o governo de Alto Paraná está trabalhando com afinco na definição de um protocolo sanitário para convencer o governo do país a decretar, de fato, a reabertura da Ponte da Amizade.

Este protocolo, já em fase de conclusão, será apresentado pelo governador Roberto González Vaesken na próxima segunda-feira, 14, em Assunção, e prevê a reabertura gradual da ponte, como defendeu tempos atrás, sem fixar data, o próprio ministro da Saúde, Julio Mazzoleni, o mais avesso à entrada de visitantes no país.

O jornal Última Hora informou que um dos encarregados de elaborar o projeto, o médico Cristian Insaurralde, diz que “a ideia é que os turistas possam entrar na cidade, para fazer compras, dentro de um horário estabelecido e num perímetro limitado de acesso ao microcentro de Ciudad del Este”.

Para ir a Ciudad del Este, o brasileiro terá que se registrar numa página de Internet, ainda não habilitada, depois passar pela Aduana paraguaia e circular com um código QR, o qual permitirá rastrear seu trajeto pela cidade e que lojas visitou.

Pela página da Internet, o interessado em ir ao Paraguai também terá que fornecer informações pessoais, como se sofre de pressão alta, diabetes ou outras enfermidades autoimunes.

E, ainda, se apresentou sintomas respiratórios, gastrointestinais, dor muscular e de cabeça nas últimas duas semanas. Se estiver tudo bem, o ingresso é liberado. Insaurralde ressalva: “Não é que vai se abrir o país (ao visitante), o que vai abrir é o microcentro. E por etapas”.

O visitante não terá liberdade de passear “por todos os lados à hora que queira e como queira”, em Ciudad del Este, mas ir apenas aos locais autorizados.

“Somos duas nações irmãs e temos que reabrir a ponte, mas tomando todos os cuidados sanitários correspondentes”, afirma Insaurralde, segundo publicou o jornal La Clave.

Número limitado de acessos

O médico explica que o protocolo sanitário é bilateral – envolve tanto Ciudad del Este quanto Foz do Iguaçu. Inicialmente, apenas 500 pessoas poderiam entrar diariamente no lado paraguaio, cumprindo com todos os requisitos solicitados.

Depois de uma semana, mil pessoas serão autorizadas a ir ao microcentro. O número irá crescendo sucessivamente, dependendo da situação sanitária, explica o jornal Última Hora.

O jornal lembra as constantes manifestações de comerciantes e trabalhadores pela reabertura da Ponte da Amizade, única forma de a economia da região.

Para o governador, protocolos podem ser alterados pelas autoridades sanitárias, o importante é que seja reaberta a ponte.

O governador de Alto Paraná, Roberto González Vaesken, diz que o documento que ele apresentará em Assunção poderá ser revisado pelas autoridades sanitárias. “Oxalá seja revisado e melhorado, o que nos permitirá ter um caminho traçado” para a reabertura da Ponte da Amizade, o que para ele “é uma necessidade”, como noticia o La Clave.

Agora, é com Mazzoleni

Todo mundo, no Paraguai e aqui, sabe que a decisão pela reabertura da fronteira entre Foz e Ciudad del Este caberá ao ministro da Saúde, Julio Mazzoleni. Se ele julgar o protocolo apropriado, e como a reabertura será gradual, é possível que a ideia emplaque.

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.